Geral

Justiça autoriza quebra de sigilo de Flávio Bolsonaro e Queiroz

As investigações tiveram início no ano passado, quando o  Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) indicou uma movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão de Queiroz.
  • DA REDAÇÃO
13/05/2019 18h08

A Justiça autorizou a quebra de sigilo bancário do senador Flavio Bolsonaro, filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, e de seu ex-assessor Fabrício Queiroz, investigado por movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em sua conta,  que foi descoberta em relatório do Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), informou o Globo.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro fez o pedido que foi autorizado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) em 24 de abril de 2019, mas não havia sido divulgado até este momento. 

A quebra do sigilo bancário será do período que vai de janeiro de 2007 até dezembro de 2018. Também foi autorizada a quebra do sigilo fiscal dos dois, no período de 2008 e 2018. 

Outros 88 ex-funcionários do gabinete, familiares e empresas ligadas a eles também tiveram sigilo quebrado.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web