Piauí

Justiça condena homem a 36 anos de prisão por matar esposa no Piauí

De acordo com a decisão, o homicídio se deu de forma brutal, com fortes requintes de barbárie e que, segundo com o laudo de exame cadavérico feito na vítima, ela sofreu diversos ferimentos.
12/09/2021 12h30 - atualizado

Na noite do dia 02 deste mês, foi realizado o julgamento de Jonatas de Brito Silva acusado da morte da esposa Joana Maria de Brito, em Fujona, na zona rural de São Julião. O crime aconteceu em junho de 2019.

Conforme a decisão, Jonatas de Brito foi condenado a 36 anos e 9 meses de prisão. A sentença foi proferida pelo juiz Enio Gustavo Lopes Barros, da Vara Única da comarca de Fronteiras.

O juiz destacou que a vítima foi morta na frente da filha de 02 anos e que o acusado fugiu deixando o corpo da companheira dentro de casa, trancado com a filha.

De acordo com a decisão, o homicídio se deu de forma brutal, com fortes requintes de barbárie e que, segundo com o laudo de exame cadavérico feito na vítima, ela sofreu diversos ferimentos ocasionados por instrumento corto-contundente, provavelmente um machado o que a teria levado a intenso sofrimento e processo de agonização antes da sua morte.

Em sua sentença o magistrado também ressaltou que a conduta levada a cabo pelo réu fere de morte o princípio da dignidade da pessoa humana, e, por conseguinte, transmite práticas sociais poluídas de machismo e desrespeito às mulheres.

Mais na Web