Piauí

Justiça condena palhaço a 14 anos de prisão por matar trapezista

Fábio Rodrigues da Silva foi condenado em regime fechado em julgamento realizado na última quinta-feira (19) na comarca de Marcos Parente. O crime aconteceu em 2011.
  • DA REDAÇÃO
21/09/2019 14h00 - atualizado

O Grupo de Apoio aos Promotores de Justiça com Atuação no Tribunal do Júri (GAEJ), representado pelo promotor de Justiça João Malato Neto, obteve a condenação do réu Fábio Rodrigues da Silva a uma pena de 14 anos de reclusão em regime fechado, em julgamento realizado na última quinta-feira (19) na comarca de Marcos Parente.

De acordo com o MPPI, o condenado Fábio Rodrigues da Silva foi levado a julgamento pela prática do crime de homicídio duplamente qualificado pelo motivo fútil e pela utilização de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. No dia 23 de abril de 2011, por volta das 03h da madrugada, nas dependências do estabelecimento “Marcoense Clube”, o acusado participou do assassinato da vítima Eduardo Marciel, mediante o desferimento de um golpe de arma branca (faca) à curta distância.

O orgão ministerial informou que o fato criminoso deu-se em virtude da ocorrência de uma discussão momentos antes do crime, envolvendo a vítima e a namorada do sentenciado. Ato contínuo, o réu deslocou-se até sua residência, onde armou-se e da qual retornou logo em seguida. Após avistar a vítima desatenta conversando com amigos, surpreendeu-a com uma violenta facada desferida no tórax, o que ocasionou a morte.

“Esse crime, à época dos fatos, causou grande repercussão na sociedade de Marcos Parente, posto que os personagens envolvidos eram membros de um circo que estava se apresentando na cidade, sendo que o condenado era o palhaço e a vítima era o trapezista. A população local clamou por justiça em virtude da violência e da covardia do crime cometido”, declarou o promotor João Malato Neto.

Mais na Web