Piauí

Justiça manda Padre Walmir readmitir contratados da Educação

Pela decisão, o município de Picos é obrigado, ainda, a ofertar o serviço de educação aos estudantes da rede municipal na modalidade remota.
01/07/2020 10h25 - atualizado

O Ministério Público do Piauí obteve decisão favorável em ação civil pública movida contra o município de Picos, administrado pelo prefeito Padre Walmir, para a suspensão de um decreto que rescindiu contratos temporários de profissionais da educação da rede pública de ensino da cidade. A decisão liminar saiu nessa terça-feira (30).

O juiz Denis Varela acatou os pedidos feitos pelo MPPI e determinou a suspensão dos efeitos do artigo 15 do Decreto Municipal nº 67/2020, de 21 de maio. Assim, os profissionais com atuação na educação do município devem permanecer em atividade e exercer suas funções em regime de trabalho remoto, com o computo das horas em banco de horas ou por qualquer outro meio disciplinado pela gestão municipal, até que o término do prazo contratual ou por outra causa legal.

  • Foto: José Maria BarrosPrefeito de Picos Padre Walmir.Prefeito de Picos Padre Walmir.

Pela decisão, o município de Picos é obrigado, ainda, a ofertar o serviço de educação aos estudantes da rede municipal na modalidade remota, por meios tecnológicos, de material impresso ou qualquer outra forma que a equipe técnica da Secretaria Municipal de Educação indique como adequada. A intenção com a medida é minimizar os prejuízos de aprendizagem decorrentes da ausência de aulas presenciais.  

Segundo o MPPI, a gestão de Picos tem 15 dias para comprovar a readmissão dos profissionais que tiveram seus contratos rescindidos. Além disso, o município deve apresentar um plano de trabalho para a oferta do serviço de educação no prazo de 20 dias. Caso descumpra a determinação judicial, o município pode pagar multa diária de R$ 10 mil.

A ação civil pública foi apresentada ao Poder Judiciário no início deste mês pelos promotores de Justiça Michelline Ramalho Serejo Silva, Antônio César Gonçalves Barbosa e Itanieli Rotondo Sá, que integram o Grupo Regional de Promotorias de Justiça Integradas no Acompanhamento da Covid-19 de Picos.

Mais na Web