Piauí

Léo Matos denuncia vice ao TCE por contratos com empresa Distrimed

Segundo a denúncia, durante o período que assumiu a Prefeitura de Gilbués, Paulo Henrique realizou contratações e pagamentos de alto valor.
22/10/2020 12h15 - atualizado

No último dia 2 de setembro, o prefeito do município de Gilbués, Leonardo de Morais Matos, apresentou uma denúncia ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) contra o vice-prefeito do município, Paulo Henrique Nogueira Mascarenhas, conhecido como Manin.

De acordo com a denúncia, o prefeito Leonardo de Morais teria sido afastado de suas funções por 63 dias, período em que o vice-prefeito assumiu a chefia do Poder Executivo de Gilbués. Nesse período, Paulo Henrique Nogueira teria realizado contratações e pagamentos que “chamam a atenção” pelo valor despendido no curto espaço de tempo e na forma de contratação.

O denunciante relara que foi pago à empresa Distrimed o montante de R$ 407.054,88 (quatrocentos e sete mil e cinquenta e quatro reais e oitenta e oito centavos) em medicamentos, que totalizam um valor diário de mais de R$ 6.460,00 (seis mil e quatrocentos e sessenta reais).

Segundo alega o prefeito Leonardo de Morais, não há nenhuma prova de que essa quantidade de medicamentos tenham sido entregues na Prefeitura de Gilbués, além do fato dessa empresa ter sido objeto de operação da Polícia Federal em 2 de setembro de 2020, por supostamente vender medicamentos e testes de Covid-19 sem que tenha sido entregue a quantidade adquirida, caso similar ao verificado em Gilbués durante esse período.

Conforme relatório apresentado pelo denunciante ao TCE, diversas outras irregularidades foram constatadas na administração municipal, merecendo a devida apuração para se verificar a regularidade dos pagamentos, dos preços, da forma de contratação e da devida entrega dos objetos adquiridos.

Diante dos fatos, o prefeito requer a adoção das providências necessárias para apurar os atos constatados durante o período de gestão de Paulo Henrique Nogueira.

Outro lado

O Viagora procurou o vice-prefeito para falar sobre o assunto, mas até o fechamento da matéria ele não foi localizado. O espaço permanece aberto para esclarecimentos.

Mais na Web