Geral

Lilian Martins recorre da decisão que a afastou do cargo de Conselheira do Tribunal de Contas

"A decisão é equivocada, não houve nenhum tipo de nepotismo, visto que o governador Wilson Martins não participou da escolha e nem da nomeação", disse o advogad
    10/07/2012 17h43

    Imagem: ReproduçãoClique para ampliarLilian Martins(Imagem:Reprodução)Lilian Martins
    Depois da decisão da Justiça Federal, que concedeu liminar e determinou o afastamento de Lilian Martins do Tribunal de Contas do Estado, o advogado Raimundo Júnior, que representa a ex-deputada, disse que amanhã será dada entrada em um agravo de instrumento para recorrer da decisão.

    “A decisão é equivocada, não houve nenhum tipo de nepotismo, visto que o governador Wilson Martins não participou da escolha e nem da nomeação”, disse o advogado.

    Raimundo Júnior afirmou ainda que a defesa discorda da decisão por entender que, de acordo com o Regimento Interno, a Assembleia Legislativa tem total competência para nomear os conselheiros que são escolhidos.

    “O que traz um enorme prejuízo para a Administração Pública é essa decisão que foi tomada muito tempo depois de a Conselheira ter tomado posse, de forma legal e conforme os regulamentos do Estado do Piauí”, declarou o advogado.

    Já sobre o fato de Lilian participar do julgamento de contas do próprio esposo, governado do Estado, Raimundo Júnior finalizou dizendo que a mesma não precisaria julgar ou participar do julgamento das contas do Governo.

    Mais na Web