Geral

Mãe de Henry chora na primeira noite presa no Rio de Janeiro

Segundo informações, Monique faz uso de remédios controlados e mesmo assim passou a madrugada muito nervosa.
10/04/2021 10h34 - atualizado

Na primeira noite, após ser presa por suspeita de envolvimento na morte do menino Henry Borel, de 4 anos, a mãe da criança, Monique Medeiros, chorou bastante na prisão do Rio de Janeiro.

Monique teria chorado ao longo de toda a noite e está isolada em uma cela sozinha, onde deve ficar por 14 dias devido à pandemia da Covid-19.

Na última quarta-feira (7), a juíza Elizabeth Louro, do 2° Tribunal do Júri decretou a prisão, por 30 dias, de Monique e do vereador Dr. Jairinho, suspeitos do assassinato de Henry. O casal foi preso na quinta-feira (08) em Bangu, zona Oeste do Rio.

Segundo informações, Monique faz uso de remédios controlados e mesmo assim passou a madrugada muito nervosa e chorando boa parte do período na unidade prisional em Niterói (RJ) para onde foi levada.

Já o vereador Dr. Jairrinho, também chorou e, devido ao grande nervosismo que apresentava, precisou ser levado a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no interior do Complexo Penitenciário de Gericinó, onde está preso.

A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) não informou o estado de saúde de Jairinho. Ele também deverá passar os primeiros 14 dias em isolamento na cela sozinho, devido a pandemia.

Com informações do G1.

Mais na Web