Polícia

“Mais de 50 disparos”, diz delegado sobre tiroteio em bar de Timon

Segundo o delegado, outras três pessoas ficaram feridas durante a ação, e relata que como forma de fugir dos disparos, algumas pessoas pularam no rio Parnaíba.
03/08/2020 18h32 - atualizado

O titular da Delegacia de homicídios de Timon, Antônio Valente, informou que a Polícia Civil do Maranhão já iniciou as investigações sobre o caso que ocorreu no sábado (01), quando homens encapuzados chegaram atirando em um bar localizado no povoado Piranha, na zona Rural de Timon,  que resultou na morte de duas pessoas de deixou outras três feridas.

De acordo com a Polícia Civil do Maranhão, as vítimas foram identificadas como Eduardo Valadão, que era estudante, e Camila Gabriela Lopes, que era auxiliar penitenciária. Segundo o delegado, outras três pessoas ficaram feridas durante a ação, e relata que como forma de fugir dos disparos, algumas pessoas pularam no rio Parnaíba.

“Infelizmente duas pessoas, das cinco que foram atingidas, vieram a óbito, a Camila e o Valadão, outras pessoas foram baleadas, temos duas internados no HUT. E muitas delas, pra se safar dos disparos, se jogaram nas águas do rio. Então a gente tá tentando entender ainda o que é que aconteceu, quem que aquelas pessoas estavam atrás, pra que a gente possa estreitar ainda mais a linha de investigação”, relata o delegado.

Conforme Antônio Valente, testemunhas informaram à polícia que cerca de oito homens teriam chegado e começaram a observar as pessoas como se estivessem procurando alguém, em seguida, teriam começado os disparos.

“O que a gente sabe é que aquelas pessoas que chegaram, cerca de oito pessoas bem organizadas, todas encapuzadas, eles chegaram em fila indiana, depois já dentro do local eles se separaram em dois grupos de quatro e ficaram olhando as pessoas como se estivessem procurando alguém ou algumas pessoas. Ao visualizar, possivelmente o alvo deles, eles começaram a efetuar disparos, mais de 50 disparos”, comenta o delegado.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web