Coronavírus no Piauí

Mais de 50% dos pacientes com Covid-19 no HGV são homens

O informe do hospital aponta ainda que o maior número de casos ainda é na faixa etária de 70 anos ou mais.
05/12/2020 16h38 - atualizado

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) registrou que 57% dos pacientes que deram entrada na unidade com Covid-19 são homens. Ao todo entre abril e novembro deste ano, foram admitidos 670 pacientes na instituição, dos quais 618 foram diagnosticados com o novo coronavírus.

Os dados são do 12º Informe Epidemiológico Covid-19 correspondentes ao período de 1º de abril a 30 de novembro de 2020.

De acordo com o relatório, o maior número de entradas na unidade hospitalar foi de pessoas do sexo masculino, fato que também se repetiu nos meses anteriores. Do total de casos confirmados, 354 eram do sexo masculino, o que corresponde a 57%. Enquanto que em novembro, apenas 15 mulheres foram admitidas no hospital com Covid-19.

 No mesmo período, deram entrada 39 homens com a doença. No mês de outubro, foram 40 homens e 19 mulheres. O informe aponta ainda que o maior número de casos ainda é na faixa etária de 70 anos ou mais.

  • Foto: Divulgação/Governo do PiauíO maior número de casos da doença é em pessoas de 70 anos ou maisO maior número de casos da doença é em pessoas de 70 anos ou mais

O informe ainda aponta que em novembro houve uma redução de 8,48% no número de casos, com relação ao mês de outubro. O pico de admissões de pacientes com Covid-19 no HGV foi em julho, mês em que houve 161 internações.

Para o diretor-geral do HGV, Gilberto Albuquerque, apesar da redução no número de casos, ainda não é o momento de descuidar das medidas de segurança como o uso da máscara e do álcool”, alerta o médico.

Conforme a coordenadora do Núcleo de Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente do HGV, Nirvania Carvalho, os dados disponibilizados de forma constante têm o objetivo de demonstrar de forma transparente o perfil dos pacientes Covid assistidos e o resultado do trabalho prestado pela instituição.

A diretora técnica da Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh), Fátima Garcez, órgão que administra o HGV, comenta a estruturação que o hospital realizou para atender toda a demanda.

“O HGV é o hospital referência para alta complexidade no estado e assim também foi durante a pandemia, com pacientes das UTIs gerais e pacientes com Covid-19 que necessitavam de intubação ou cuidados especiais. O Governo do Estado e a Fepiserh estruturaram e equiparam a casa, efetuando melhorias que ficarão como legado deste período de crise”, conta Garcez.

Mais na Web