Política

Marden critica Governo e quer redução do ICMS sobre combustível

Segundo o deputado, o governo do estado não está apresentando uma proposta concreta para reduzir a carga tributária dos combustíveis.
28/10/2021 14h20 - atualizado

Nessa quarta-feira (27), o deputado estadual Marden Menezes (PSDB) declarou que o Governo do Piauí não está apresentando uma proposta concreta para reduzir a carga tributária dos combustíveis.

Ao Viagora, o parlamentar afirmou que a carga tributária sobre os combustíveis no estado, é a segunda mais alta do país.

  • Foto: Luís Marcos/ ViagoraDeputado Marden MenezesDeputado Marden Menezes

“No caso do Governo do estado, o que não obtemos de retorno, é uma proposta concreta em se tratando de gestão pública e estadual para a redução do ICMS, da carga tributária, da tributação que é aplicada no Piauí. A carga tributária piauiense sobre combustíveis é a segunda mais alta do Brasil e isso não foi negado, nem contestado pelo próprio governo”, disse.

Segundo o deputado, Teresina é a capital com a gasolina mais cara do Brasil porque os tributos cobrados no Piauí são mais elevados que em outros estados.

“Teresina não se explica, é a capital com o litro da gasolina mais caro do Brasil, não é brincadeira isso. Por quê é o mais caro? A audiência pública deixou muito claro. É porque os tributos cobrados no Piauí pelo governo do estado são mais elevados que no Ceará, Pernambuco, Bahia”, afirmou.

Marden explica ainda que outros estados como o Ceará e o Maranhão, possuem o combustível mais barato que no Piauí, porque cobram menos ICMS.

“Se você for no Ceará vai ter uma gasolina mais barata, no Maranhão também porque são estados que cobram menos ICMS, no Ceará fica em torno de 29%, nos demais estados nordestinos fica em torno de 28% ou 29% e aqui no Piauí é 31%”, pontuou.

De acordo com o deputado, o estado tenta manter a narrativa de que a responsabilidade não é dele e sim do mercado mundial e da situação econômica do país, mas que é necessário buscar saídas para a situação.

“O governo do estado tenta manter uma narrativa de que a responsabilidade não é dele e que seria do mercado mundial, da situação econômica no planeta, mas nós temos que buscar saídas dentro do que nós alcançamos, o Governo do Piauí tem que buscar saídas. O Piauí não tem como interferir no preço do petróleo a nível mundial, mas tem como cobrar menos impostos para fazer sua parte nesse processo de reduzir os valores absurdos que tem sido cobrados nos combustíveis”, ressaltou.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web