Política

“Me sinto preparado para ser conselheiro do TCE”, diz Ziza Carvalho

De acordo com o parlamentar, a disputa pela vaga no Tribunal de Contas do Estado, não deve ser uma questão de política partidária.
09/07/2021 11h00 - atualizado

O deputado estadual Ziza Carvalho (PT), que é um dos parlamentares que colocou o nome à disposição para disputar a vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), declarou que se sente preparado para o cargo e reforça que não se trata de uma “questão partidária”.

De acordo com o parlamentar, ele é da área jurídica e destaca ser um procurador do estado com vasta experiência, o que o qualifica para assumir o cargo deixado pelo conselheiro Luciano Nunes.

  • Foto: Luis Marcos/ViagoraDeputado Ziza CarvalhoDeputado Ziza Carvalho (PT)

“Toda vez que abre essa vaga nós temos várias pessoas da sociedade que postulam essa indicação para esse órgão de controle. Eu sou da área jurídica, sou advogado há mais de 20 anos; sou procurador do estado concursado há 20 anos, mais de 15 anos efetivo em exercício na área jurídica. [...] É uma questão de uma postulação legítima de alguém que acha que tem o perfil e pode fazer um bom trabalho na corte de contas”, comenta o deputado.

Ziza Carvalho reforça ainda que a disputa à vaga de conselheiro no TCE, que tem como objetivo fiscalizar as finanças de autoridades, não deve ser uma questão de política partidária, destacando que se sente preparado para a disputa e que sua postulação é legítima.

“Não é uma questão partidária. Nós não podemos confundir um trabalho técnico que tem que o exercício do cargo de conselheiro do Tribunal de Contas, que vai fiscalizar as contas e gestão de várias autoridades, com questão política partidária. Me sinto preparado e acho legítima minha postulação. Eu acho que isso depende de uma conversa com os colegas, a base eleitoral dessa vaga é o parlamento. A gente já vem conversando e no final a gente pode chegar ao consenso ou ir para uma disputa. A princípio o meu nome está colocado à disposição, não do partido, mas da Casa”, finaliza o deputado.

Mais na Web