Piauí

Médico Gedison Alves é investigado pelo Ministério Público

O inquérito sobre o caso foi aberto nesta quinta-feira (25), pelo promotor de Justiça Jorge Luiz da Costa Pessoa, na Promotoria de Uruçuí.
  • RAYANE TRAJANO
26/05/2017 15h18 - atualizado

O médico Gedison Alves Rodrigues está sendo investigado pelo Ministério Público do Estado do Piauí, por acúmulo ilegal de cargos públicos. O inquérito sobre o caso foi aberto nessa quinta-feira (25), pelo promotor de Justiça Jorge Luiz da Costa Pessoa, na Promotoria de Uruçuí.

Um procedimento preliminar de investigação foi instaurado na Promotoria em 2016, agora o promotor resolveu dar prosseguimento às investigações, abrindo o inquérito civil.

Gedison foi denunciado por suposto ato de improbidade administrativa, devido a acumulação de três cargos públicos, são eles: médico clínico lotado no Hospital Regional Senador Dirceu Arcoverde; médico clínico lotado na ambulância suporte avançado do Município de Uruçuí; médico da estratégia de saúde na família, com sua publicação em Diário Oficial.

  • Foto: Facebook/Gedison Alves RodriguesGedison Alves RodriguesGedison Alves Rodrigues

A promotoria colheu informação de que o médico teria se desligado do cargo de Médico da Estratégia Saúde da Família ainda em 10 de setembro de 2015, mas o promotor quer averiguar a necessidade de se medir o dolo do médico em acumular indevidamente cargos públicos em desacordo com a Constituição Federal, além do eventual ressarcimento de valores aos cofres públicos.

Gedison é ex-candidato a prefeito de Marcos Parente e filho da ex-prefeita Juraci. O médico chegou a assumir a prefeitura do município quando o prefeito eleito, Manoel Emídio, foi cassado.

Outro lado

O Viagora não conseguiu localizar Gedison Alves para comentar o caso. O espaço está aberto para esclarecimentos. 

Mais na Web