Piauí

Ministério Público acompanha vacinação contra Covid em Teresina

O encontro foi promovido pelo Ministério Público por intermédio da 12ª Promotoria de Justiça de Teresina e do seu representante legal, o promotor de Justiça Eny Marcos Pontes.
26/07/2021 17h15

Na manhã da última quinta-feira (22), o Ministério Público do Piauí (MP-PI) realizou a 21ª audiência de acompanhamento da operacionalização da vacinação contra a covid-19 em Teresina.

O encontro foi promovido pelo Ministério Público por intermédio da 12ª Promotoria de Justiça de Teresina e do seu representante legal, o promotor de Justiça Eny Marcos Pontes.

No início da reunião, o promotor Eny Pontes citou os encaminhamentos da reunião passada, sendo um deles a atualização diária do site da Secretaria Estadual de Saúde do Piauí (Sesapi), com os números de doses distribuídas aos municípios, individualmente, por data.

“É essencial que a Sesapi esclareça como está sendo feita a distribuição de doses e quais são os cálculos realizados, a nível de proporcionalidade, uma vez que os números flutuam de uma remessa para outra”, pontuou.

Em relação a outros municípios e estados estarem recebendo doses extras, o integrante do MP questionou sobre os ofícios encaminhados pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) e pela Sesapi ao Ministério da Saúde solicitando um aumento no quantitativo de doses recebidas.

Segundo o órgão ministerial, a FMS comentou que não obteve resposta, mas que o ofício será reiterado. Já a Sesapi não enviou representantes para a reunião, apesar de ter sido notificada.

Durante a reunião também foi tratado sobre o público que ainda não tomou a segunda dose, o MP também questionou sobre as providências efetivas que estão sendo tomadas para reverter a situação.

A diretora da Atenção Básica em Saúde da FMS, Laurimary Caminha, informou que os agentes de saúde estão atuando em campo na busca ativa e que uma equipe está ligando e encaminhando mensagens para quem está com a segunda dose pendente.

Pautas como a operacionalização da vacinação na zona rural, a necessidade de transparência; e o repasse do Fundo Estadual de Saúde aos municípios na forma de incentivo financeiro por registro vacinal, que foi aprovado pela Resolução CIB-PI nº 127/2021, também foram discutidos.

Mais na Web