Piauí

Ministério Público inspeciona Hospital Tibério Nunes em Floriano

O hospital passou por uma inspeção virtual, por meio de videoconferência na última quarta-feira (16).
19/09/2020 17h15 - atualizado

O Hospital Tibério Nunes do município de Floriano passou por uma inspeção virtual, por meio de videoconferência na última quarta-feira (16). A ação foi promovida pelo Ministério Público do Piauí por meio do Grupo Regional de Promotorias de Justiça Integradas no Acompanhamento à Covid-19 de Floriano.

A inspeção foi conduzida pelo diretor-geral do hospital, Davyd Basílio, o diretor-técnico, Justino Moreira, e a diretora clínica, Márcia Dias. Os três gestores apresentaram à equipe de fiscalização vários setores da unidade de saúde, entre eles, a área dos leitos de UTI destinados ao tratamento de pacientes com o novo coronavírus, o laboratório, a ala de pediatria, o setor de neurologia e os postos de enfermagem que estão em reforma, a estação de tratamento de esgoto, a enfermaria geral do hospital, a farmácia e a central de esterilização de materiais.

Além de integrantes do MP do Piauí, o trabalho de fiscalização contou com o auxílio de representantes do Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI), do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito 14ª) e do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Piauí (Cosems).

Atualmente, o Hospital Tibério Nunes conta com um total de 30 leitos clínicos e 20 de UTI. Foi verificado que dentre os profissionais da saúde, cinco médicos pediram afastamento por conta de suas candidaturas para cargos eletivos, sendo três cirurgiões gerais e dois ortopedistas.

Foi constatado ainda que há três dias na semana em que a equipe de anestesia fica incompleta, fato que compromete de forma negativa a programação cirúrgica.

Além disso, a central de esterilização de material que ainda necessita de uma autoclave, equipamento que tem como função esterilizar materiais utilizados em processos cirúrgicos. O diretor-geral Davyd Basílio informou que já solicitou à Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) a aquisição do utensílio para o hospital.

Após a visita guiada ao hospital, os promotores de Justiça solicitaram que a administração do Tibério Nunes encaminhe ao Grupo Regional de Floriano as escalas de profissionais, indicando quais foram afastados e qual o déficit atual; o envio de informações sobre a existência de atrasos no pagamento de profissionais e quantos; e uma cópia da solicitação de compra de autoclave feita à Sesapi.

Participaram da inspeção os promotores de Justiça José de Arimatéa Dourado, Valesca Caland Noronha e Ana Sobreira Botelho, integrantes do Grupo Regional de Floriano, e Cláudia Seabra, coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (CAODS); os médicos do Ministério Público Viviane Martins e Celso Pires Filho; o presidente do Crefito-14ª Região, Rodrigo Amorim; o médico Juaréz Holanda, fiscal do CRM-PI, além de representantes do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Piauí (Cosems).

A coordenadora do CAODS expressou o reconhecimento das melhorias implementadas no hospital, especialmente, pela dedicação e profissionalismo dos diretores atuais e do corpo de profissionais de saúde. “Estamos presenciando um hospital com grande número de pessoas recebendo atendimento em todos os setores. Uma alternativa inteligente pra evitar a superlotação foi a implantação do chamado “hospital- dia” onde os pacientes com à Covid-19 vem ao hospital para tomar a medicação e são monitorados por exames laboratoriais e de tomografia, evitando o agravamento da saúde”, enfatizou a promotora Cláudia Seabra.

Mais na Web