Geral

Ministro argentino vai discutir parcerias com Petrobras, diz YPF

O executivo fez a ressalva que não há nenhum projeto concreto em curso com a estatal brasileira.
    30/08/2012 15h22

    O presidente da YPF, Miguel Galuccio, afirmou que o ministro do Planejamento argentino Julio de Vido, deverá voltar ao Brasil para conversar com o governo brasileiro sobre possíveis parcerias com a Petrobras para a exploração de campos de gás e petróleo. O executivo fez a ressalva que não há nenhum projeto concreto em curso com a estatal brasileira.

    De Vido esteve em Brasília em abril, logo após a estatização da YPF, ocasião em que se reuniu com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.

    Galuccio anunciou hoje que a YPF fez cinco novas descobertas em gás e petróleo não convencional na área do golfo de San Jorge, na Patagônia argentina. O campo, chamado D-129, é o primeiro fora da área de Vaca Muerta. A Exxon e a Apache são parceiras em duas das perfurações.

    O anúncio foi no início da entrevista coletiva de Galuccio, a primeira em cinco anos promovida pela YPF, que foi encampada pelo estado em abril. Galuccio afirmou que 51% das reservas de petróleo e 57% das reservas de gás são de caráter não convencional.

    A empresa pretende investir US$ 1,4 bilhão nos próximos cinco anos em 250 poços exploratórios.

    O investimento na área de gás natural, com a perfuração de 1.160 poços, é estimado em US$ 6,5 bilhões. Para isso, o presidente da estatal petroleira disse que está negociando com o governo o aumento da remuneração pelo produto. Atualmente, o gás é remunerado por um preço que oscila entre US$ 4 e US$ 7 por milhão de BTU, dentro de um plano conhecido como Gás Plus. Segundo o executivo, o aumento é essencial para sustentar o plano de investimentos.

    De acordo com Galuccio, a meta é elevar a produção em 23%, passando de 35 milhões de metros cúbicos para 44 milhões de metros cúbicos por dia.

    (Cesar Felício | Valor)

    Mais conteúdo sobre:

    Mais na Web