Piauí

Motoristas e entregadores de aplicativos fazem protesto em Teresina

Os manifestantes reivindicam a redução do ICMS sobre o combustível, pedem por mais segurança e que sejam incluídos na vacinação contra a Covid-19.
23/02/2021 09h35 - atualizado

Manifestação motoristas e entregadores de aplicativos em Teresina

Motoristas e entregadores por aplicativos realizam uma manifestação, na manhã desta terça-feira (23), em frente à Câmara Municipal de Teresina. Os trabalhadores bloquearam o sentido Norte/Centro da Avenida Marechal Castelo Branco em protesto por melhores condições.

De acordo com um dos membros da Associação dos Motoristas Autônomos para Transporte Privado Individual de Passageiros no Piauí (Amatepi), Guilherme Neto, a manifestação realizada nesta manhã é um movimento independente sem vínculo com partido político. A categoria reivindica mais segurança, melhores condições e redução na taxa do ICMS.

“Hoje nós estamos fazendo uma manifestação tentando sensibilizar as autoridades municipais e estaduais em relação às reivindicações que estamos solicitando a eles: segurança, melhores taxas na plataforma, redução no ICMS do combustível. Nós somos um movimento independente, nós não temos aqui partidos políticos, sem entidade, seja ela associativa, corporativa qualquer”, comenta o membro da Amatepi ao Viagora.

Além das reivindicações como segurança e melhores condições, os motoristas e entregadores por aplicativo pedem ainda para serem incluídos no grupo prioritário de imunização contra a Covid-19 no Piauí. Segundo eles, esse tipo de serviço é utilizado por mais da metade da população da capital, e com a vacinação da categoria, irá contribuir para a redução no número de infectados.

“A gente quer que a próxima etapa de vacinação nos inclua, porque nós temos contato direto com as pessoas dentro dos nossos carros. Pra você ter ideia, quando começou a pandemia e foi decretado o lockdown, nós não paramos, os motoristas por aplicativos não pararam. Alguns contraíram outros não. Estamos encaminhando os ofícios [para a Sesapi] e vamos aguardando os resultados”, relata Guilherme Neto.

Confira a matéria em vídeo

Mais na Web