Piauí

MP apura aumento nos preços de materiais de construção em Teresina

De acordo com o chefe de fiscalização do Procon no Piauí, após a reabertura das lojas de materiais de construções os produtos estariam sendo vendidos por um valor quase três vezes maior.
27/08/2020 15h00 - atualizado

Com o objetivo de apurar denúncias sobre o aumento abusivo dos preços em lojas de materiais de construção em Teresina, o Ministério Público (MPPI) e o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) tem realizado fiscalizações.

De acordo com o chefe de fiscalização do Procon no Piauí, José Arimatéia Arêa Leão, após a reabertura das lojas de materiais de construções os produtos estariam sendo vendidos por um valor quase três vezes maior do que no período antes da pandemia.

“São produtos básicos da construção civil e a gente observou que houve um aumento significativo. Antes da pandemia, um milheiro de telhas custava aproximadamente R$ 250 e hoje chega a custar R$ 700. É um preço que nós consideramos abusivo, mas para comprovar precisamos ver as notas fiscais de antes da pandemia”, informou o chefe de fiscalização à TV Clube.  

Segundo José Arimatéia, as lojas que não possuírem as notas fiscais das últimas vendas terão um prazo de 15 dias para justificar a falta de comprovantes. O chefe de fiscalização relata que as vistorias estão sendo realizadas desde a semana passada.

Conforme o Procon, se for confirmado o aumento abusivo dos preços de matérias de construções nos estabelecimentos, a multa pode variar de R$ 600 a R$ 10 milhões.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web