Geral

MP denuncia deputada Flordelis pela morte do pastor Anderson

A operação também cumpriu mandados de prisão contra os quatro filhos adotivos do casal e os dois filhos da deputada.
  • BRUNA LEÃO
24/08/2020 10h12 - atualizado

Em novos desdobramentos do caso do pastor Anderson do Carmo, assassinado em junho do ano passado, o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro (MP-RJ), denunciou a deputada federal Flordelis de Souza pela morte do marido.

Segundo o delegado Allan Duarte, a motivação do crime seria a insastifação com a forma como o pastor Anderson organizava as finanças e os problemas da família. 

Outras onze pessoas são suspeitas de envolvimento com a morte do pastor. A ação conjunta entre a Polícia Civil e o MP-RJ cumpre nove mandados de prisão preventiva e 14 de busca e apreensão em endereços no Rio de Janeiro (RJ), Niterói (SP), São Gonçalo (RJ) e em Brasília (DF).

De acordo com o MP-RJ, todos os mandados de prisão já foram cumpridos. Entre os presos na operação estão os quatro filhos adotivos do casal, Carlos Ubiracy, André Luiz de Oliveira, Marzy Teixeira da Silva e os dois filhos de Flordelis, Adriano dos Santos Rodrigues e Simone dos Santos Rodrigues.

Na fase inicial das investigações, o filho biológico do pastor, Flávio dos Santos Rodrigues, foi identificado como o autor dos disparos, e Lucas César dos Santos, filho adotivo, apontado como quem comprou a arma utilizada no assassinato. Outras três pessoas também foram detidas, uma delas seria esposa de um ex-PM e supostamente é a responsável por escrever a carta falsa, elaborada por Lucas na prisão.

De acordo com as investigações, o assassinato foi premeditado e começou a ser planejado em 2018, a deputada será indiciada por homicídio triplamente qualificado. Flordelis de Souza tem foro privilegiado e ainda não foi presa.

Mais na Web