Piauí

MP discute em audiência situação do transporte público de Teresina

A Procuradoria pontuou que está prestando assistência para que a Strans consiga se estruturar e trabalhar de forma mais eficiente.
17/03/2021 19h24 - atualizado

Nessa terça-feira (16), o Ministério Público do Estado do Piauí, por meio da 32ª Promotoria de Justiça de Teresina, realizou audiência para debater sobre o transporte público coletivo da capital.

O procurador-geral do Município, Aurélio Lobão, e representantes do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Teresina (Setut) e da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) também estiveram presentes.

  • Foto: Divulgação/MPPIAudiência sobre o transporte público da capital.Audiência sobre o transporte público da capital.

Durante a audiência, a promotora de Justiça Maria das Graças do Monte, titular da 32ª PJ, que é especializada na defesa dos consumidores, ouviu todos os presentes, a fim de obter informações sobre o trabalho desenvolvido pelo poder público municipal e pelas concessionárias.

Aurélio Lobão, ressaltou que a gestão tem dedicado bastante atenção ao transporte coletivo, com o objetivo de intensificar a fiscalização das empresas, bem como verificar o cumprimento de todas as obrigações assumidas pelas concessionárias prestadoras do serviço de transporte.

A Procuradoria também pontuou que está prestando assistência para que a Strans consiga se estruturar e trabalhar de forma mais eficiente. Os representantes do Setut relataram que a greve dos motoristas e cobradores foi suspensa por noventa dias, tendo em vista acordo celebrado junto ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Também foi pontuada a necessidade de constante diálogo com o município, bem como o cumprimento das obrigações do contrato de concessão, em especial, o repasse dos subsídios para as empresas do setor.

Em resposta, o superintendente da Strans Cláudio Pessoa ressaltou que medidas administrativas e judiciais estão sendo adotadas para corrigir irregularidades no sistema e melhorar o serviço ofertado aos usuários.

Ao final da reunião, o MPPI solicitou que o Município realize auditoria nos contratos e acordos celebrados com as concessionárias, a fim de garantir o equilíbrio econômico-financeiro do instrumento, bem como a modicidade das tarifas cobradas aos usuários.

Uma nova audiência será marcada, com a presença do Tribunal de Contas do Estado para somar esforços na fiscalização dos acordos e contratos assinados.

Mais na Web