Piauí

MP expede recomendações à SEMCASPI e FMS de Teresina

Conforme a Promotoria de Justiça os órgãos mencionados tem o prazo de cinco dias, para prestar informações acerca do acatamento ou não das recomendações.
06/03/2021 07h35 - atualizado

O Ministério Público do Piauí (MPPI) expediu recomendações à Secretaria Municipal de Cidadania Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI) e Fundação Municipal de Saúde (FMS) para manutenção de serviços de saúde à população em situação de rua na Casa do Caminho, em Teresina.

De acordo com a 49ª Promotoria de Justiça de Teresina, especializada na defesa da Cidadania e Direitos Humanos, as recomendações têm o objetivo de garantir a manutenção de todos os serviços antes prestados à população em situação de rua atendida pela Casa do Caminho, em especial os serviços de saúde, enquanto perdurar o contexto da pandemia da covid-19.

  • Foto: Luís Marcos/ViagoraMinistério Público do Piauí.Ministério Público do Piauí.

A promotora de Justiça, Myrian Lago, autora das recomendações, ressaltou que os serviços de atendimento e acolhimento da população em situação de rua, especialmente os prestados pela casa de passagem Casa do Caminho no âmbito da rede de serviços socioassistenciais, estavam sendo regularmente acompanhados por equipes de saúde, desde a instalação do Abrigo Provisório do Estádio Municipal Lindolfo Monteiro, tendo permanecido mesmo após a desativação do local, em cumprimento à recomendação feita anteriormente pela 49ª PJ.

Ainda segundo a promotora, a necessidade da atuação integrada das políticas públicas de assistência social e saúde, para que a rede do Sistema Único de Assistência Social-SUAS trabalhe em parceria com o Sistema Único de Saúde (SUS).

Em setembro de 2020, com a desativação do Abrigo Provisório do Estádio Municipal Lindolfo Monteiro, os serviços para a população em situação de rua voltaram a serem prestados na sede da Casa do Caminho, no Centro da capital.

O local se mostrava incapaz de receber pessoas em situação de rua devido às condições insalubres, ambientes pequenos e pouco ventilados. A Casa do Caminho foi deslocada para outro endereço, no Bairro São Joaquim, na Zona Norte, que também não tinha estrutura física necessária para abrigar pessoas em situação de rua, ainda que em regime de pernoite, ou para alimentação e higienização.

Nos últimos dias, surgiu a notícia de que a equipe de saúde que atende na Casa do Caminho seria desativada pela FMS, diante disso, o MPPI recomendou ao Presidente da Fundação Municipal de Saúde, à Secretária Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas-SEMCASPI que realizem uma avaliação técnica das instalações físicas da casa de passagem Casa do Caminho com vistas à mudança imediata da casa de passagem do endereço atual para local que propicie o respeito às normas sanitárias decorrentes do contexto da pandemia.

Também foi recomenda a manutenção de todos os serviços prestados à população em situação de rua atendida e acolhida na Casa do Caminho, em especial os serviços de saúde, com o apoio da gestão de assistência social local, enquanto perdurarem os estados de calamidade pública e de emergência em saúde.

Conforme a Promotoria de Justiça os órgãos mencionados tem o prazo de cinco dias, para prestar informações acerca do acatamento ou não das recomendações, alertando que o descumprimento poderá ensejar a instauração de inquérito civil e/ou ingresso de ação civil pública, com aplicação de multa.

Mais na Web