Coronavírus no Piauí

MP inspeciona serviço de Terapia Intensiva do Hospital de Bom Jesus

A fiscalização foi composta por profissionais do Ministério Público, do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 14ª Região (Crefito-14).
20/03/2021 16h00 - atualizado

Nessa sexta-feira (19), o Ministério Público do Piauí (MPPI), por meio da Promotoria de Justiça Regional de Bom Jesus e com apoio do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (CAODS), realizou uma inspeção de forma virtual no nos leitos de Unidades de Terapia Intensivas (UTIs) do Hospital Regional Manoel de Sousa Santos (HRSS).

De acordo com o MPPI, a fiscalização foi composta por profissionais do Ministério Público, do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 14ª Região (Crefito-14), da Vigilância Sanitária Estadual (DIVISA) e da Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi). Durante a ação, foram inspecionadas a as dependências da farmácia, da usina de gases e os leitos de UTIs destinados ao tratamento de pacientes com a Covid-19, que estão todos ocupados.

  • Foto: Luís Marcos/ViagoraMinistério Público do Piauí.Ministério Público do Piauí.

Segundo o Ministério Público, os membros da equipe de inspeção ficaram preocupados com a falta de um médico responsável técnico pelo serviço de alta complexidade. Os membros do MP relataram que conforme foi informado, o médico responsável técnico só esteve na unidade uma vez. O MPPI também solicitou à Sesapi cópia do contrato firmado com a empresa Medcx, contratada para ofertar profissionais médicos e o coordenador técnico da UTI.

Conforme informações apuradas durante a inspeção, há uma deficiência no número de profissionais de saúde para atender aos pacientes dos leitos de Covid-19, como enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e médicos diaristas, o que chamou a atenção dos membros do MP.

Outro ponto que foi observado na inspeção, foi a necessidade de ventiladores de reservas, pois os existentes da unidade estão todos em funcionamento, além da necessidade de mais medicamentos e insumos, já que o estoque existente é para um mês. Também foi observada a necessidade da aquisição e instalação de gerador próprio no hospital.

O MPPI informou que o trabalho de inspeção foi conduzido pelos promotores de Justiça Márcio Carcará e Cláudia Seabra. A equipe de fiscalização era composta ainda pelos médicos do Ministério Público, Celso Pires Filhos e Viviane Pompeo; do presidente do Crefito 14, Rodrigo Amorim, e representantes da Diretoria de Vigilância Sanitária do Piauí e diretora da Diretoria de Unidade de Descentralização e Organização Hospitalar, Joselma Oliveira.

Mais na Web