Piauí

MP instaura procedimento para investigar irregularidades no HGV

A direção do Hospital informou que odas as pendências solicitadas pelo Ministério Público já foram resolvidas em relação ao centro Cirúrgico.
23/09/2019 12h00 - atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí, através da promotora de Justiça Maria das Graças do Monte Teixeira, instaurou um procedimento preparatório em face da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), administrada pelo secretário Florentino Neto, a fim de apurar possíveis irregularidades nos centros cirúrgicos do Hospital Getúlio Vargas, em Teresina.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Hospital Getúlio Vargas (HGV).Hospital Getúlio Vargas (HGV).

Para instaurar o procedimento, o MPPI considerou a existência de cinco salas no centro cirúrgico do Hospital Getúlio Vargas, que estão fechadas em razão da falta de monitor, carrinho de anestesia, anestesista, técnico e foco cirúrgico.

De acordo com o órgão ministerial, caso as salas estivessem aptas ao pleno funcionamento, os procedimentos cirúrgicos realizados no hospital poderiam passar de 1.200 para 1.800 a 2.000.

O Ministério Público considerou ainda que o Hospital Getúlio Vargas é o único hospital do estado do Piauí habilitado para realizar diversos procedimentos de alta complexidade em várias especialidades médicas.

Diante dos fatos, a promotora de Justiça Maria das Graças Monte Teixeira resolveu instaurar um procedimento preparatório para investigar supostas irregularidades nos centros cirúrgicos do HGV, determinando também que se emitisse ofício à Secretaria de Estado da Saúde, à Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH) e à Diretoria Geral do Hospital Getúlio Vargas, requisitando informações e providências quanto à aquisição dos equipamentos necessários para abertura dos centros cirúrgicos, bem como data prevista para abertura desses.

Outro lado

Procurada pelo Viagora, a direção do Hospital Getúlio Vargas emitiu uma nota de esclarecimento sobre o assunto.

Confira a nota na íntegra:

A direção do Hospital Getúlio Vargas (HGV) informa que todas as pendências solicitadas pelo Ministério Público já foram resolvidas em relação ao centro Cirúrgico do HGV. O diretor-geral, Gilberto Albuquerque, informa que, logo que assumiu em 21 de maio de 2019, foram providenciadas a aquisição de mais seis monitores para que fosse possível a ampliação do número de cirurgias no HGV, passando de 800 procedimentos para 1.240 cirurgias/mês. Para tanto, foram adquiridos mais seis monitores, antes eram apenas três, e abertas mais três salas cirúrgicas. Antes, somente oito salas estavam em funcionamento. A meta é que, até dezembro, seja aberta mais uma, totalizando 12 salas cirúrgicas.

Mais na Web