Coronavírus no Piauí

MP realiza audiência para discutir sobre fila de vacinação em Picos

O Ministério Público realizou uma audiência na manhã da última quarta-feira (24) para tratar sobre a fila de vacinação contra a Covid-19 na cidade de Picos.
26/03/2021 16h59 - atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí (MPPI), por meio das 7ª e 8ª Promotorias de Justiça de Picos, com apoio do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde (CAODS), promoveu uma audiência na manhã da última quarta-feira (24) para tratar sobre a fila de vacinação no município de Picos.

Durante a audiência, o secretário de saúde de Picos, Aldo Gil de Medeiros, apresentou o atual cenário de vacinação. Segundo ele, o Ministério da Saúde usou como critério o último censo populacional do IBGE de 2010 para calcular a quantidade de doses a serem enviadas.

  • Foto: DivulgaçãoMPPI promove audiência para tratar de vacinação em Picos.MPPI promove audiência para tratar de vacinação em Picos.

O secretário disse que as informações relacionadas à idade estariam defasadas, resultando em remessas insuficientes para vacinar o grupo indicado pelo órgão federal.

Ainda de acordo com Aldo Gil, antes da cobertura vacinal atingir o grupo de 90 anos ou mais, foram enviadas novas remessas com orientações para avançar e aplicar em idosos de 86 a 89 anos.

Com isso, foram discutidas soluções para a plena cobertura vacinal neste cenário de doses limitadas. Os representantes do MPPI ressaltaram que o panorama atual pede adequações nos planos de vacinação por conta do quantitativo que pode ser produzido diariamente e que os gestores tomem decisões visando garantir a efetiva proteção da população.

Na reunião, foram realizadas orientações quanto à aplicação das doses, à organização dos pontos de vacinação para impedir aglomerações, à transparência na execução do plano de vacinação, com divulgação de lista nominal em site oficial, e às estratégias de comunicação com a população para esclarecimento da fila de prioridade.

Foi orientado ao secretário de saúde que conclua a vacinação dos grupos anteriores, prevalecendo o critério de maior vulnerabilidade dentre os prioritários.

Mais na Web