Geral

MPF denuncia Valdomiro Santiago por vender feijões que ‘curam’ Covid

Segundo o Ministério Público Federal, Valdomiro praticou abuso de liberdade religiosa e pôs em risco a saúde pública.
05/08/2020 09h06 - atualizado

O Ministério Público Federal (MPF) acionou a justiça e quer uma multa no valor de R$ 300 mil contra o pastor Valdemiro Santiago e a Igreja Mundial do Poder de Deus depois do apóstolo anunciar a venda de sementes de feijão com a propriedade de “curar” a Covid-19.

O líder religioso e seu ministério são acusados de danos sociais e morais coletivos. Na ocasião, Valdemiro publicou três vídeos em que oferecia sementes de feijões que, segundo ele, curariam a Covid-19. Os valores variam entre R$ 100 e R$ 1000. Ele chegou a citar uma fiel que teria sido curada com o método e que um atestado médico confirmava a eficácia das sementes.

O Ministério da Saúde também foi convocado a se explicar após retirar do seu site oficial um alerta sobre o conteúdo divulgado pelo pastor. A publicação foi feita após pedido do MPF e ficou no ar apenas por alguns dias, sendo removido sem qualquer justificativa.

Segundo o MPF, Valdomiro praticou abuso de liberdade religiosa e pôs em risco a saúde pública.

Com informações do Pleno News.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web