Piauí

MPF investiga irregularidade no Fundeb de Lagoa Alegre

A procuradora Cynthia Arcorverde Ribeiro Pessoa assinou a portaria que determina a abertura do inquérito civil público.
  • ANA RAQUEL COSTA
11/03/2017 08h27 - atualizado

O Ministério Público Federal instaurou inquérito civil público contra a prefeitura do município de Lagoa Alegre no Piauí, que tem como atual prefeito Carlos Magno (PMDB). A irregularidade apontada foi cometida em  2011, na gestão de Gesimar Borges.  A portaria que determinou a abertura foi assinada pela procuradora Cynthia Arcoverde Ribeiro Pessoa no último dia 2 de março.

  • Foto: Street ViewSede do Ministério Público Fedderal no PiauíSede do Ministério Público Fedderal no Piauí

O procedimento preparatório que já tramita no órgão foi convertido em inquérito civil que tem como objetivo “apurar possíveis irregularidades na prestação de contas dos recursos do FUNDEB repassados ao Município de Lagoa Alegre/PI, no exercício de 2011”.

A procuradora determinou que seja feita análise da documentação que foi encaminhada pela Promotora de Justiça Coordenadora do CACOP – Centro de Apoio Operacional de Combate à Corrupção e Defesa do Patrimônio Público, além de comunicar a abertura do inquérito a 5ª Câmara de Coordenação e Revisão dedicada ao combate à corrupção que atua nos feitos relativos aos atos de improbidade administrativa previstos na Lei nº 8.429/92.

O outro lado

O VIAGORA não conseguiu localizar a ex-prefeita Gesimar Borges para comentar a denúncia. O VIAGORA também tentou contato com o atual prefeito Carlos Magno, através do telefone da prefeitura, mas as ligações não foram atendidas. 

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web