Política

"Não daria certo", diz Evandro Hidd sobre municipalização do transporte

O parlamentar acredita que a municipalização não é viável na capital devido ao alto índice de investimentos que precisa ser feito.
24/06/2021 09h00 - atualizado

O vereador Evandro Hidd (PDT), falou ao Viagora sobre a municipalização do transporte público de Teresina, e afirmou que a prefeitura não tem condições de aderir a medida.

O parlamentar acredita que a municipalização não é viável na capital devido ao alto índice de investimentos que precisa ser feito, e afirmou que a medida não resolveria o problema de imediato.

  • Foto: DivulgaçãoVereador Evandro Hidd, presidente do diretório do PDT em Teresina.Vereador Evandro Hidd, presidente do diretório do PDT em Teresina.

“Eu particularmente acho que a municipalização não daria certo no município como o nosso, como Teresina, primeiramente por conta do alto investimento que tem que ser feito, com um volume de recursos muito grande e segundo porque não afetaria de imediato a resolução do problema, esse é o grande ponto. A população que é mais atingida ela vai ter o seu problema resolvido de imediato? E enquanto não se pode ser municipalizada o que é que pode ser feito?”, indagou.

Evandro Hidd ressalta que no momento é preciso esperar o relatório detalhado que está sendo feito pela CPI, para então tirar uma conclusão se é possível de fato haver uma municipalização do serviço.

“Primeiramente a gente tem que aguardar a finalização da CPI, o relatório a ser apresentado pelo vereador Enzo Samuel que está ouvindo juntamente com todos os outros componentes da CPI, ouvindo as empresas, a prefeitura, os ex-gestores, atuais gestores, funcionários, todos aqueles que fizeram ou fazem parte de todo o sistema pra depois tirar uma conclusão”, destacou.

O vereador concluiu dizendo que todos os lados devem ser ouvidos. “Tudo isso tem que ser levado em consideração até se chegar o final da CPI, apresentado o relatório pra ai sim nós tomarmos conhecimento efetivamente de tudo que ocorreu pra que possamos ter uma opinião mais incisiva sobre o assunto”, disse.

Mais na Web