Política

"No Piauí ainda está indefinido", diz Luís André sobre União Brasil

O vereador de Teresina falou sobre a estruturação do partido no estado para as eleições de 2022.
08/12/2021 19h35 - atualizado

Nessa terça-feira (07), o Presidente do Diretório Estadual do Partido Social Liberal (PSL) no Piauí, vereador Luís André, falou sobre a estruturação do partido União Brasil no estado para as eleições que acontecerão no ano de 2022.

O novo partido surge a partir da fusão entre o DEM e o PSL e conforme o vereador, essa junção segue para a homologação até o começo de 2022 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Estamos tratando com muita naturalidade, tranquilidade. Eu acho que o momento agora é de unir as forças, montar uma chapa. Eu estou fazendo o meu trabalho como pré-candidato a deputado federal. Essa questão da fusão ainda está no TSE para a homologação no começo de 2022. Até lá vai ter o recesso dos ministros, e acredito que só em fevereiro vai ser tomado a decisão do Estado. Nos estados ainda está indefinido, não só no Piauí está indefinido, mas no Maranhão, Rio Grande do Norte, e em outros estados pelo Brasil”. Mas assim, eu acho que cada um vai fazer o seu trabalho, e a executiva nacional vai definir quem será o presidente aqui, o presidente do União Brasil no Piauí ainda será definido”, disse.

  • Foto: Luis Marcos/ ViagoraVereador Luis AndréVereador Luis André

O parlamentar também destaca que irá ajudar o novo partido sendo ou não o presidente. Segundo ele, o seu foco principal é disputar uma vaga como deputado federal.

"Eu sempre falei nas minhas entrevistas que serei uma pessoa que irá ajudar, sendo ou não presidente. Meu foco maior é ser deputado federal, nós estamos andando pelo Piauí com a caravana junto com o ministro Ciro, ex-prefeito Silvio, deputada Iracema. Até lá vamos esperar com muita paciência, muita tranquilidade, e no momento oportuno nós iremos saber que vai ser o escolhido, e iremos ajudar de qualquer maneira o projeto União Brasil’, explica.

Questionado se o União Brasil será um partido da base ou de oposição ao governo do Presidente Bolsonaro, o vereador disse que é necessário esperar se o partido lançará um candidato para a presidência da República, ou se deve apoiar uma outra via.

“Eu acredito assim, eu já vi várias entrevistas do próprio Luiciano, que ele será uma oposição ao Governo Federal. Claro que em cada Estado tem suas peculiaridades, mas vamos esperar se vai ter candidato ou não a presidência da República. Pode ser que ele lance um candidato, pode ser que ele apoie alguma via, seja Moro ou outro. Mas ainda é cedo para definir. Eu acredito que até fevereiro do próximo ano terá uma escolha a nível nacional para que lado o União Brasil vai se posicionar. Nos seguiremos as orientações da nacional do partido", finalizou.

Mais na Web