Política

“Nós já estamos disputando desde bebê”, diz Gervásio sobre Kleber

O candidato a prefeito de Teresina pelo PSTU, falou da disputa e da relação com o irmão e oponente Kleber Montezuma.
06/11/2020 06h20

Em entrevista ao Viagora o candidato a prefeito pelo PSTU, Gervásio Santos, fez declarações sobre as pesquisas de intenção de voto, e falou sobre a relação com o irmão, Kleber Montezuma (PSDB), que também disputa a Prefeitura de Teresina.

Segundo Gervásio Santos, ele e Kleber sempre tiveram em lados opostos: Kleber como secretário de Educação, e ele como professor da rede municipal reivindicando melhorias junto aos trabalhadores.  

“Nós já estamos disputando desde bebê, porque o Montezuma ele entrou muito novo na política como secretário [...] Então, nós somos trabalhadores, nós somos servidores públicos, e todas essas secretarias nós sempre nos confrontamos: ele, enquanto representante dos patrões, e nós representantes dos trabalhadores. Eu sou professor da rede municipal, e eu tenho as minhas reivindicações, da minha categoria: piso, a questão da mudança de nível, e tudo isso é através de pressão, ninguém dá nada ao trabalhador de graça, vem sempre através de pressão. Ele de um lado, recebendo as pancadas, e eu do outro lado dando as pancadas junto com os trabalhadores”, comenta o candidato.

  • Foto: Luis Marcos/ ViagoraCandidato a Prefeito Gervásio SantosCandidato a prefeito Gervásio Santos

Gervásio considera a gestão de mais de 30 anos do PSDB à frente da Prefeitura de Teresina como péssima, destacando que a cidade enfrenta os mesmo problemas há anos, como os alagamentos na região da zona Leste da capital, e falta de saneamento básico em áreas da periferia da cidade.

“Péssima. Você vai na periferia e não tem nada, não tem o básico da infraestrutura. Por exemplo, ontem nós tivemos no Dandara dos Cocais, próximo ao Jacinta Andrade. Lá não tem galeria, lá não tem saneamento básico, lá não tem fossa séptica, lá não tem paralelepípedo, não tem rua. Se aqui na zona Leste nós temos o problema do alagamento, porque não tem galeria para escoar a água, mas temos uma questão básica aqui, todo mundo mora em uma boa casa. Lá nem casa tem, e nem tão pouco o escoamento. Então, as crianças, as pessoas, os idosos convivem lá com a poça de lama”, explica.

  • Foto: Luis Marcos/ ViagoraCandidato a Prefeito Gervásio SantosCandidato a Prefeito Gervásio Santos

Já em relação às pesquisas de intenção de voto, o candidato comenta que elas “vem do bolso de quem paga”, e ressalta que o partido não está preocupando com as que são encomendadas, e que acredita no resultado que virá das urnas após o fim da eleição.

“Toda pesquisa vem do bolso de quem paga. O PSDB, por exemplo, tira pesquisa do Amostragem e tá lá em cima, o Pessoa tira a pesquisa do IBOPE e tá lá em cima, o Fábio Abreu vai em outra pesquisa e tá lá em cima. Então, essa é uma pesquisa que quem tem condições de pagar tá bem na pesquisa, e ela serve para induzir, vamos dizer assim, o eleitor. Na nossa opinião, a melhor pesquisa é a da rua, é aquela que quando termina a votação e fecha as urnas nós sabemos quem são os candidatos. Nós não estamos de modo algum preocupado com as pesquisas que são encomendadas, nós estamos fazendo a nossa campanha que é de denunciar esses governos capitalistas e suas administrações, e por outro lado, nós estarmos colocando para os trabalhadores o nosso programa emergência para essas duas crises: a economia e a sanitária”, afirma Gervásio.

Mais na Web