Polícia

Operação da Polícia Civil apreende cartões e documentos no Piauí

Os objetos foram apreendidos por agentes da 19ª Delegacia Regional, durante cumprimento de dois mandados de busca e apreensão em Marcos Parente.
19/09/2019 19h40 - atualizado

Nesta quinta-feira, 19 de setembro, agentes da 19ª Delegacia Regional do município de Guadalupe apreenderam uma grande quantidade de cartões magnéticos e documentos pessoais em uma operação realizada na cidade de Marcos Parente, região Sudoeste do Piauí.

De acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil, foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão emitidos pelo juízo de direito da Comarca de Marcos parente, visando coibir os crimes de estelionato e crime contra a economia popular.

  • Foto: Divulgação/Polícia CivilCartões magnéticos e documentos pessoais apreendidos na operação em Marcos Parente.Cartões magnéticos e documentos pessoais apreendidos na operação em Marcos Parente.

Durante a investigação policial, apurou-se que o indivíduo de iniciais C. S. R. realizava empréstimos a terceiros e, como garantia de pagamento, fazia a retenção  dos cartões magnéticos e documentos pessoais das vítimas, promovendo inclusive saques de benefícios sociais.

Em um dos imóveis foi apreendida uma grande quantidade de cartões magnéticos, cheques e documentos pessoais. A Polícia Civil durante as buscas contou com o apoio do Grupamento de Polícia Militar de Marcos Parente. O suspeito não estava em casa no momento do cumprimento do mandado.

Segundo o delegado Moises Aragão Linhares, responsável pela DPC de Marcos Parente, o autor também responderá pelos crimes de apropriação indébita previsto no Código Penal, além dos crimes previstos nos art. 102 e 104 do Estatuto do Idoso, por apropriar-se de ou desviar bens, proventos, pensão ou qualquer outro rendimento do idoso, dando-lhes aplicação diversa da de sua finalidade, prevendo pena de reclusão de um a quatro anos e multa e por reter o cartão magnético de conta bancária relativa a benefícios, proventos ou pensão do idoso, bem como qualquer outro documento com objetivo de assegurar recebimento ou ressarcimento de dívida, com pena prevista de detenção de seis meses a dois anos e multa.

As investigações continuam em andamento, não se descartando novos pedidos de prisão e autuação de envolvidos na formação de organização criminosa.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web