Piauí

Piauí atinge marca de 91,23% do rebanho vacinado contra aftosa em 2020

De acordo com o diretor-geral da Adapi, nessa etapa da campanha foram vacinados somente os animais até 24 meses.
  • LAÍS VITÓRIA
03/03/2021 16h30

O Piauí contabiliza 1.750.094 animais, e durante a 2ª etapa da Campanha da Febre Aftosa realizada em 2020, 91,23% foram vacinados. Nessa etapa estavam aptos para vacinação 568.453, sendo imunizados total de 517.917.

Conforme o diretor-geral da Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi), Genilson Sobrinho, o produtor teve até o dia 10 de janeiro para fazer a certificação, que analisa os relatórios e encaminha para Superintendência Federal da Agricultura (SFA-PI).

  • Foto: DivulgaçãoPiauí atinge marca de 91,23% do rebanho vacinado.Piauí atinge marca de 91,23% do rebanho vacinado.

“A SFA tem prazo de 15 dias para analisar e enviar para base do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e somente depois desse trâmite é divulgado o resultado da vacina no Brasil, o que ocorreu no dia 17 de fevereiro”, comenta Genilson.

Ainda de acordo com o diretor-geral, na segunda etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa, foram vacinados somente os animais até 24 meses e que o controle facilita a abertura de mercados para exportação.

Segundo Genilson, em 2021, a campanha de vacinação terá início no dia 1º de maio. “Essa data vai depender ainda de como vai estar a pandemia. O MAPA pode adiar, mas até o momento está previsto pra maio de 2021 e nessa etapa maio/2021 serão vacinados no todos os bovinos e bubalinos, independente de idade”, afirmou.

O índice vacinal alcançado no Piauí foi além da meta de 90% estabelecida pelo Ministério da Agricultura para manter o status de área livre com vacinação e avançar para a área livre de febre aftosa sem vacinação, conforme preconiza o Plano Estratégico do PNEFA 2017-2026.

Para Genilson, o grande desafio do Piauí é enfrentar a etapa final do processo de erradicação da doença no estado e alcançar a condição de estado livre da febre aftosa sem vacinação conforme o plano estratégico PNEFA 2017-2026.

Mais na Web