Piauí

Prefeito Betim é investigado pelo MP por beneficiar professores

O prefeito de Riacho Frio foi denunciado pelos vereadores de beneficiar professores em troca de apoio político. O Ministério Público abriu um inquérito para apurar o caso.
03/07/2018 12h20 - atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí (MP-PI) está investigando o prefeito do município de Riacho Frio, Adalberto Gerardo Mascarenhas, o Betim, que foi denunciado novamente por improbidade administrativa, dessa vez, por beneficiar professores por troca de apoio político.

  • Foto: DivulgaçãoPrefeito Adalberto Mascarenhas, o Betim.Prefeito Adalberto Mascarenhas, o Betim.

Após receber a denúncia formulada por vereadores municipais, o órgão ministerial resolveu abrir um Procedimento Preparatório de Inquérito Civil Público, no dia 25 de junho deste ano, através da Portaria de nº 007/2018, instaurada pela promotora Gilvânia Alves Viana, que responde pela Promotoria de Justiça Parnaguá.

Segundo a denúncia, o prefeito Betim teria dobrado a carga horária de professores, em desacordo com a constituição, através de um acordo formulado por troca de apoio político. Os denunciantes relataram também que alguns beneficiados pelo aumento da carga horária sequer trabalham em sala de aula.

Os nomes citados dos envolvidos no esquema pelos denunciantes são os servidores identificados como Mirla Cristina Fernandes Castro, Anamira Castro Silva, Roselaine Mascarenhas Nogueira da Cunha e também Liana Nogueira Chaes Mascarenhas.

Através da apuração, o Ministério Público solicitou cópias do acordo celebrado entre as partes que permitiu a ampliação da carga horária para 40 horas, implantada a cada semestre, até mesmo dos servidores com carga horária de 20 horas semanais. Também foi solicitado o quadro dos servidores de Riacho Frio que tiveram a ampliação de carga horária desde o ano de 2012, informando a data de efetivação, e se há uma lista daqueles que ainda devem ser contemplados com a ampliação.

O órgão solicitou ao Sindicato dos Professores Municipais do Extremo Sul do Piauí (Sinprosul-PI) e ao prefeito Betim, que prestem esclarecimentos sobre a denúncia em um prazo de 10 dias.

Não é a primeira vez que o prefeito de Riacho frio é denunciado pelos vereadores do município por improbidade administrativa. Um outro Procedimento Preparatório de Inquérito Civil Público também foi instaurado contra Betim, dessa vez, para investigar denúncias de nomeação de parentes para exercer cargos públicos.

O prefeito Adalberto Gerardo Mascarenhas não foi localizado pelo Viagora para esclarecer as denúncias.

Mais na Web