Piauí

Presidente do Simepi critica obras paradas em UBS de Teresina

Samuel Rego afirmou que o dinheiro público está sendo “desperdiçado” e que o movimento de reivindicações dos médicos continua.
02/07/2018 15h30 - atualizado

O presidente do Sindicato dos Médicos do Piauí (Simepi), Samuel Rego, está criticando a Prefeitura de Teresina por atrasar obras de Unidades Básicas de Saúde da capital. Ao Viagora, ele afirmou que o dinheiro público está sendo “desperdiçado” e que o movimento de reivindicações dos médicos continua.

  • Foto: SimepiPresidente do Simepi Samuel RêgoPresidente do Simepi, Samuel Rêgo

O Simepi anunciou nesta semana que fará uma paralisação na próxima quinta-feira (05). Segundo o sindicato, a paralisação será geral com indicativo de greve, e todos os atendimentos devem ficar suspensos na cidade. 

“O sindicato tem recebido muitas denúncias dos médicos sobre as péssimas condições de trabalho nas unidades de saúde básica de Teresina. Sem contar que muitas UBS, que deveriam estar funcionando, estão com as obras paradas há mais de ano”, disse Samuel Rego.

O presidente do sindicato afirma que tem feito vistorias nos bairros Soinho, Socorro e Gurupi. “É simplesmente uma vergonha a gente poder constatar que o dinheiro público da saúde aqui em Teresina está sendo desperdiçado com obras paradas que poderiam estar sendo utilizadas para prestar atendimento à população que é tão carente em relação à saúde”, relatou.

Samuel Rego, disse, ainda, que nenhum canal de diálogo foi aberto pela Prefeitura de Teresina, através da Fundação Municipal de Saúde. “O que os médicos querem é condições de trabalho pra que eles possam realizar uma saúde de qualidade. Mas infelizmente os gestores têm se mostrado muito difíceis ao diálogo para tentar solucionar esses problemas. Nós já fizemos seis paralisações e não fomos recebidos nenhuma vez. Então, o movimento dos médicos continua”, reiterou.

Mais na Web