Polícia

Prisão preventiva de acusados de matar Frantiaiallo Gonçalves é decretada

O caso aconteceu na última sexta-feira (28), na Avenida João XXIII, durante uma tentativa de assalto.
01/09/2020 09h43 - atualizado

Samuel Ribeiro da Silva Costa e Ednaldo Pereira da Silva, acusados de executar o soldado da Polícia Militar do Maranhão, Frantiaiallo Gonçalves, tiveram a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva. A decisão é desse sábado (29), pelo juíz Washington Luiz Gonçalves Correia, da Vara Núcleo de Plantão de Teresina.

O caso aconteceu na última sexta-feira (28) na Avenida João XXIII, em frente à Jelta Veículos, durante uma tentativa de assalto.

No parecer do juíz, presente nos autos do processo, o crime reforça o desprezo pela vida da vítima e provocou risco a outras pessoas, além de demonstrar a audácia do acusado em atirar no PM.

“O modus operandi revelou grande desprezo pela vida humana, destemor e audácia, inclusive porque o acusado não se importou com o fato de efetuar disparos em local habitado, provocando, também, risco iminente à vida de outras pessoas. Destarte, é plausível que solto o acusado traga intranquilidade ao meio social, bem como venha a praticar outros crimes, sendo, portanto, a prisão preventiva medida que se impõe visando o resguardo da ordem e paz pública”, apontou.

Mais na Web