Geral

Procurador Deltan Dallagnol deixa a força-tarefa da Lava-Jato

Segundo o MPF (Ministério Público Federal), Dallagnol "está se desligando da força-tarefa para se dedicar a questões de saúde em sua família".
01/09/2020 18h15

Após seis anos, o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba, vai deixar o comando da força-tarefa.

Segundo o MPF (Ministério Público Federal), Dallagnol "está se desligando da força-tarefa para se dedicar a questões de saúde em sua família".

Através de vídeo divulgado no Youtube, Dallagnol citou regressão no desevolvimento da filha, que tem 1 ano e 10 meses. Ele disse que precisará se dedicar mais à família.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, teria condicionado a renovação da operação, que vence na semana que vem, à saída de Dallagnol. E com a saída, saem do foco os processos que correm contra o procurador no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público).

Com a saída anunciada, o procurador da República no Paraná Alessandro José Fernandes de Oliveira deve assumir as funções antes exercidas por Deltan Dallganol, informa o MPF em nota oficial.

"Deltan desempenhou com retidão, denodo, esmero e abnegação suas funções, reunindo raras qualidades técnicas e pessoais. A liderança exercida foi fundamental para todos os resultados que a operação Lava Jato alcançou, e os valores que inspirou certamente continuarão a nortear a atuação dos demais membros da força-tarefa, que prosseguem no caso", diz trecho da nota.

Histórico

O procurador Deltan Dallagnol tornou-se um dos nomes de destaque da força-tarefa que em pouco mais de seis anos realizou 73 operações, condenou mais de uma centena de pessoas e recuperou bilhões de reais aos cofres públicos.

Formado em direito pela Universidade Federal do Paraná, Dallagnol iniciou a carreira como procurador da República em 2003, quando passou a integrar o Ministério Público Federal. Fez mestrado na Harvard Law School.

Com informações do R7.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web