Piauí

Professores cobram do prefeito de Jaicós pagamento de reajuste salarial

Segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação, a entidade ganhou na Justiça o pagamento do reajuste de 2010, mas até hoje a decisão não foi cumprida.
13/08/2021 06h21 - atualizado

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sinte) Regional do Município de Jaicós ganhou uma ação na Justiça para pagamento do reajuste salarial referente ao ano de 2010. A presidente do sindicato, professora Fantanilde, disse ao Viagora que apesar da decisão judicial ter sido expedida em 2019, até hoje ainda não foi executada.

“Nós alegamos que não foi dado o reajuste do piso do ano de 2010, um reajuste de 7%. Então nós entramos na Justiça e alegamos que naquela época tinha uma gratificação com percentual de 20% que era para ser calculado sobre o vencimento. Foi pedido agora a execução da ação e nós estamos aguardando essa regência ser implementada. Ganhamos a ação em 2019 e estamos aguardando a implementação, que seja pago a regência e pela questão do valor relativo ao acúmulo dessas perdas salariais de lá até aqui. Foi calculado um valor até 2019, ainda falta de 2020 e 2021, e a gente acredita que seja futuramente pago com os precatórios”, declarou.

A professora comentou que a entidade tentou negociar com a Prefeitura de Jaicós, administrada pelo prefeito Neném de Edite, mas que a administração municipal não aceitou o acordo proposto pelo sindicato.

“Foi tentado um acordo, mas não foi possível. Então já que não foi avançado com as negociações, nós estamos avançando na luta mesmo. A gente está atrasando o pagamento dos precatórios. Queremos essa implementação da regência porque essa dívida com os professores a cada ano ela vai aumentando”, disse.

De acordo com a presidente, o cumprimento da decisão foi comprometido pelo recurso apresentado pelo prefeito, que afirma que a tabela dos valores é menor.

“O gestor da cidade recorreu da decisão da Justiça na questão da tabela, para que fosse feito um novo cálculo da dívida com os professores, alegando que a tabela é menor. Então estão sendo feitos os novos cálculos da tabela na Justiça e estamos aguardando”, afirmou.

Outro lado

Viagora tentou contato com o prefeito de Jaicós, Neném de Edite, mas até o fechamento da matéria, o gestor não foi localizado.

Mais na Web