Piauí

Promotor quer proibição de eventos com aglomerações em Barro Duro

O representante do MP afirma que na cidade de Barro Duro está sendo anunciada a realização de festas, e afirma que esses eventos podem contribuir para a disseminação da Covid-19 na cidade.
15/12/2020 12h31 - atualizado

O Ministério Público do Piauí (MPPI), por meio da Promotoria de Justiça de Barro Duro, ingressou com uma ação civil pública, assinada pelo promotor Ari Martins, solicitando ao Poder Judiciário a proibição de eventos na cidade pelo período de 120 dias.

De acordo com o MPPI, o promotor ingressou com a ação devido a uma casa de shows de Barro Dura chamada “Longazão” realizar eventos sem a apresentação de cuidados devido a pandemia da Covid-19. Na ação, o promotor destaca que no próximo dia 22 de dezembro a casa de shows irá realizar um evento, e na propaganda não existe informações sobre os cuidados e medidas para evitar a propagação da Covid-19.

O apresentante do MP afirma ainda na cidade de Barro Duro está sendo anunciada a realização de outras festas, e afirma que esses eventos podem gerar grandes aglomerações, contribuindo para a disseminação do vírus na cidade.

Diante disso, o promotor Ari Martins solicita ao Poder Judiciário que seja proibido a realização de eventos na cidade de Barro Duro pelo período de 120 dias com revisão mensal da necessidade de manutenção da ordem, ou enquanto perdurar a situação de pandemia pelo novo coronavírus.

Segundo o MPPI, em caso de descumprimento o promotor pede que seja aplicada a multa no valor de R$ 200 mil (duzentos mil reais) por caso de descumprimento da decisão judicial.

O titular da PJ de Barro Duro esclarece que é necessário continuar seguindo as orientações das autoridades sanitárias, como em relação ao uso de máscaras, a lavagem das mãos, o uso de álcool em gel, e a manutenção do distanciamento social, para reduzir a propagação da covid-19.

Mais na Web