Piauí

Semcaspi lança projeto de empreendedorismo para venezuelanos

De acordo com a Semcaspi, o projeto é voltado para homens e mulheres indígenas, que já trabalham com artesanato, na confecção de colares, roupas e redes.
18/05/2021 17h45

Nesta terça-feira (18), a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) lançou o projeto de educação financeira e empreendedorismo destinado para indígenas venezuelanos que vivem em Teresina.

De acordo com a Semcaspi, o projeto é voltado para homens e mulheres indígenas, que já trabalham com artesanato, na confecção de colares, roupas e redes. A iniciativa conta com a parceria entre a Semcaspi e o Enactus Estácio|CEUT, que é uma ONG sem fins lucrativos e irá desenvolver dentro dos abrigos para migrantes venezuelanos um projeto de educação financeira, tecnológica, e empreendedorismo.

Segundo prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, os indígenas venezuelanos estão sendo acolhidos e a ideia é proporcionar trabalho de maneira respeitosa, fornecendo condições para empreender.

  • Foto: Divulgação/Prefeitura de TeresinaSemcaspi lança projeto de empreendedorismo para venezuelanosSemcaspi lança projeto de empreendedorismo para venezuelanos

“No nosso país tem as normas para ajudar a população que está em situação de vulnerabilidade. Nós estamos acolhendo os venezuelanos da mesma maneira como acolhemos os teresinenses. É um momento de transformação! Este governo é de transformação, ação e atitude. Do lado da Eliana Lago, eu tenho certeza que vai fluir bem este acolhimento dentro do olhar empreendedor ao povo venezuelano”, comentou o prefeito.

A secretária da Semcaspi, Eliana Lago, destaca que o projeto faz parte de um grupo de iniciativas que tem como finalidade capacitar e melhorar as condições de vida dos indígenas venezuelanos que vivem em três abrigos em Teresina.

“Este projeto vai desenvolver atividades, desde capacitação a atividades lúdicas de apoio financeiro. O objetivo é que nós, no decorrer do tempo, consigamos fazer com que os venezuelanos sejam autônomos e tenham suas casas e saiam dos abrigos. No entanto, a Prefeitura de Teresina, na gestão do Dr. Pessoa, se preocupa em ofertar as condições, para que eles consigam estar dentro da nossa sociedade, não com a mendicância, mas que eles possam estar sendo produtivos, contribuindo com o crescimento de Teresina”, pontuou.

Conforme dados da Prefeitura de Teresina referentes ao mês de maio de 2021, a capital possuía nos três abrigos 66 famílias, com um total de 267 pessoas, sendo 105 crianças e 40 adolescentes.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web