Saúde

Sesapi alerta sobre prazos de aplicação da 2ª dose contra Covid-19

Cristiane Moura Fé, diretora de Vigilância em Saúde da Sesapi, afirmou que a ação é uma estratégia local para adiantar a vacinação da segunda dose no Estado.
  • LETÍCIA DUTRA
18/10/2021 17h30

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) alerta sobre a nova atualização do Plano Nacional de Operacionalização da Covid-19, de 07 de outubro deste ano, que apresenta novos prazos para aplicação da segunda dose das vacinas contra a Covid-19 nos município do Piauí

Os novos intervalos estabelecidos são de 4 a 12 semanas, havendo a recomendação de uma média de 8 semanas para a vacinada da AstraZeneca produzida pela Fio Cruz, de 3 a 12 semanas para o imunizante da Pfizer/Comirnaty entre a primeira e segunda dose. A única que permanece com o mesmo intervalo, de 28 dias, é a vacina da CoronaVac do Instituto Butantan.

  • Foto: Luis Marcos/ ViagoraVacinaçãoVacinação

Cristiane Moura Fé, diretora de Vigilância em Saúde da Sesapi, afirmou que a ação é uma estratégia local para adiantar a vacinação da segunda dose no Estado.

“Desde a 36ª remessa de distribuição de vacinas, que os municípios já estão com os imunizantes para a antecipação dos prazos para a segunda dose. Com isso estamos fazendo esse alerta para que os municípios elaborem uma estratégia local para fazer os devidos adiantamentos” ressaltou a diretora.

Ainda de acordo com a diretora de Vigilância em Saúde da Sesapi, a partir desta nova atualização os novos prazos devem ser inseridos no cartão de vacinação pelos profissionais responsáveis pela aplicação das doses. Os piauienses que já receberam a dose devem ser convocados para tomar a vacina no novo intervalo estabelecido pelo Plano Nacional de Operacionalização da Covid-19.

“É muito importante fazer esse chamamento, para que possamos alcançar uma imunização do nosso povo em tempo mais rápido”, finaliza Cristiane Moura.

A Sesapi também relembra os prazos para a vacinação da dose de reforço, que deve ser administrada 06 meses após a segunda dose do esquema vacinal ou da dose única, independente do imunizante aplicado, para idosos acima de 60 anos e profissionais da saúde. Já as pessoas com baixa imunidade (imunossuprimidos) devem tomar o reforço após 28 dias que tomaram a segunda dose.

Mais na Web