Piauí

Sesapi autoriza retomada das cirurgias eletivas no Piauí

Segundo o secretário Florentino Neto, os procedimentos estavam suspensos por conta da pandemia e com a redução da taxa de ocupação das unidades de saúde, voltam a ser executados.
07/07/2021 17h25 - atualizado

Após suspender a cirurgias eletivas no Piauí devido a taxa de ocupação dos leitos pela Covid-19, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informou que autorizou a realização desses procedimentos no estado para reduzir a fila de espera.

De acordo com a Sesapi, a cirurgias eletivas foram autorizadas levando em consideração que a redução na taxa de ocupação dos leitos de internação de pacientes em tratamento do coronavírus e a redução do número de óbitos pela doença. Dados do Consórcio Nacional de Imprensa, a queda nas mortes por Covid nas últimas duas semanas foi de 54%.

  • Foto: Divulgação/Governo do PiauíSesapi autoriza a retomada de cirurgias eletivas no PiauíSecretário da Sesapi, Florentino Neto

Conforme o Superintendente de Organização do Sistema de Saúde da Sesapi, Jefferson Campelo, cada cidade do estado tem autonomia para planejar e executar o retorno das cirurgias eletivas de acordo com suas demandas. “Essa retomada será descentralizada, acontecendo na capital e nas unidades de saúde do interior do Estado que tenham capacidade de abrigar essas cirurgias”, diz o superintendente.

O Secretário Florentino Neto destaca que mesmo durante a pandemia, as cirurgias de urgência não deixaram de ser realizadas. “Vamos reorganizar essa rede de cirurgias levando em consideração a situação de cada região em relação à pandemia. Temos um grande número de pacientes esperando pelos procedimentos, mas vamos vencer essa fila o mais rápido possível”, afirma o gestor.

Ainda segundo o secretário da Sesapi, as cirurgias laparoscópicas já estão sendo realizadas no Piauí desde o dia 2 de julho, quando foi lançado o Marco Regulatório da Laparoscopia. “Estamos usando essa técnica minimamente invasiva para salvar vidas e também reduzir as filas por cirurgias no Estado, mas temos que lembrar que a pandemia ainda não acabou. É preciso manter os cuidados para não elevar os números da doença”, afirma o secretário.

Mais na Web