Coronavírus no Piauí

Sesapi irá alugar UTIs e apartamentos em hospitais particulares

O secretário Florentino Neto explica que a medida foi tomada levando em conta a alta concentração de casos da doença em Teresina e também a ocupação crescente dos leitos disponíveis.
21/05/2020 18h30 - atualizado

Devido ao aumento no número de leitos de UTIs na rede estadual, o Governo do Piauí, por meio da Secretara de Estado da Saúde (Sesapi) irá alugar 60 leitos de UITs e 30 apartamentos em hospitais particulares para ampliar o atendimento a pacientes com a Covid-19.

De acordo com a Sesapi, o estado já alugou 10 leitos de UTIs e 10 apartamentos no Hospital Prontomed, em Teresina e a ,,meta é chegar aos 60 leitos de UTIs por meio do chamamento 01/2020.

Segundo a Secretaria de Saúde, devido à necessidade de ampliação do atendimento, o chamamento público está aberto e publicado no Diário Oficial do Estado até preencher o total de leitos e apartamentos requisitados.

O secretário de Saúde, Florentino Neto, explica que a medida foi tomada levando em conta a alta concentração de casos da doença em Teresina e também a ocupação crescente dos leitos disponíveis em toda a rede, que já atingiu 49,65% de ocupação.

 “Estamos vendo o esgotamento crescente na rede privada e na rede pública. Por isso mesmo, as nossas equipes estão mobilizadas diuturnamente para ampliar os leitos de UTI e Estabilização para atender as pessoas que necessitem de apoio de suporte avançado”, afirma o gestor.

  • Foto: Divulgação/SesapiSesapi e Fepiserh anunciam implantação de novos 40 leitos de UTI no Hospital Getúlio Vargas (HGV).Sesapi irá alugar UTIs e apartamentos em hospitais particulares

Segundo o secretário, o aluguel de leitos abre a possibilidade de atender pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e também na rede privada, e afirma que a Sesapi está buscando garantir leitos para os piauienses a fim de evitar o colapso no sistema de saúde.

“Nós não podemos esperar que as coisas aconteçam. Alugamos os primeiros leitos e estamos em tratativas para alugar ainda mais para que eles fiquem disponíveis e com equipes disponíveis para serem usados por quem precisar, afirma o secretário.

Florentino Neto destaca ainda que ficar em casa neste momento de crescimento da curva de contaminação  é importante porque é a maneira mais eficaz para frear o aumento repentino no número de casos, o que poderia causar um colapso no sistema de saúde pela falta de leitos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Mais na Web