Piauí

Setur trata sobre administração da Orla de Atalaia com SPU

Os gestores das secretarias se reuniram para tratar acerca da renovação da cessão da área referente à Orla de Atalaia na região litorânea piauiense.
22/02/2019 18h15 - atualizado

Na tarde de ontem (21), gestores da Secretaria de Estado do Turismo (Setur) e da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) trataram sobre a renovação da cessão da área referente à Orla de Atalaia na região litorânea piauiense.

A ideia é que o Governo do Estado continue na administração da área, que hoje, é dotada de restaurantes, banheiros públicos, quiosques e ainda a sede do Projeto Piauí Praia Acessível que também tem uma estrutura montada pela Setur.

  • Foto: Divulgação/AscomGestores se reuniram para tratar sobre a Orla de Atalaia, no litoral do Piauí.Gestores se reuniram para tratar sobre a Orla de Atalaia, no litoral do Piauí.

Para o secretário de turismo, Bruno Correia Lima, é importante que o Estado tenha o controle das ações naquele local, vez que é a principal atração turística do nosso estado. “Temos um planejamento e isso inclui organizar e fiscalizar toda a orla de Atalaia que hoje recebe um grande número de turistas. A Orla é um grande potencial econômico e turístico para o Estado e queremos ainda mais melhorias e investimentos”, ressalta o gestor acrescentando ainda que existe a ideia de futuramente ser realizado um novo processo para novos permissionários, tudo decorrente da nova cessão para o estado.

Ainda na tarde desta quinta, outra reunião aconteceu com o Ministério Público Federal (MPF), a fim de tratar sobre a situação dos atuais permissionários e as condições de funcionamento do equipamento turístico.

Na ocasião, o Gestor da Orla, Paulo Afonso, reforçou que tem sido feito um trabalho de fiscalização na Orla de Atalaia por parte do Estado. “Temos feito um trabalho de fiscalização relacionado à conservação das barracas, documentação e já deixamos cientes ao MPF as ações desenvolvidas e queremos continuar realizando um trabalho de forma correta”, disse.

Mais na Web