Piauí

Soja fez PIB do Piauí crescer acima da média nacional, diz IBGE

O presidente da Aprosoja diz que todo o resultado positivo que o setor tem trazido, é de responsabilidade dos agricultores e dos pequenos empresários das cidades do Cerrado.
  • VIVIANE ROCHA
17/11/2020 16h03 - atualizado

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), constatou que o Piauí está entre os três estados do Brasil, em que a soja fez a economia crescer acima da média nacional nos últimos 20 anos e é o único representante do Nordeste nesta estatística.

Além do Piauí, também tiveram a soja como principal fonte de crescimento econômico, no período, o Tocantins e o Mato Grosso.

O Governo do Piauí apresentou nesta segunda-feira (16), os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) de 2018. O PIB, que é a soma das riquezas produzidas em uma região foi de R$ 50,4 bilhões, um crescimento nominal de 11% em relação a 2017, o 3º maior em crescimento do Nordeste e o 12° maior do Brasil.

Segundo os dados das Contas Regionais do IBGE desde 2002, quando começa a série histórica, a 2018, o Mato Grosso foi o estado com o maior crescimento econômico, com avanço médio de 5,1% ao ano. Em seguida, vêm Tocantins (4,9%), Roraima (4,2%) e Piauí (4,1%). O Produto Interno Bruto (PIB) nacional, cresceu em média 2,4% ao ano no período.

Na avaliação do presidente da Associação dos Produtores de Soja do Piauí (Aprosoja), Alzir Neto, todo o resultado positivo que o setor tem trazido para o Piauí é de responsabilidade dos agricultores e dos pequenos empresários das cidades do Cerrado. 

O presidente ainda ressalta que o crescimento e desenvolvimento do estado do Piauí, é intrinsecamente relacionado ao setor privado, sobretudo, ao Agronegócio, em especial a cadeia da soja nos cerrados. O diagnóstico para continuar crescendo e impulsionando a economia seria investir em infraestrutura e criar políticas que gerem segurança jurídica, consolidando o programa fundiário e estimulando a agroindústria.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), analisou, em 2004, a cadeia de geração de empregos na agroindústria da soja e verificou que de cada emprego direto gerado, são gerados seis indiretos.

Mais na Web