Política

“Sou contrário ao adiamento”, diz Dudu sobre eleições municipais

Em entrevista ao Viagora, o vereador Dudu (PT) disse que apesar da pandemia do coronavírus, ainda há tempo hábil para que as eleições municipais sejam realizadas em outubro.
11/05/2020 06h45 - atualizado

No último dia 6 de maio, o Piauí ultrapassou a marca dos 1.000 casos confirmados do novo coronavírus no estado. Com isso, tanto o Governo do Estado quanto as prefeituras municipais têm elaborado medidas mais duras para conter a disseminação da Covid-19, além das já existentes, como o decreto que suspende as atividades do comércio e indústria enquanto durar a pandemia.

Empresários piauienses têm solicitado ao poder público do estado e da capital a reabertura de seus estabelecimentos, alegando que o período de quarentena e isolamento social já afetou negativamente os rendimentos, podendo causar danos à economia local e o aumento dos níveis de desemprego.

Em entrevista ao Viagora, o vereador Dudu (PT) declarou-se contra ao relaxamento das medidas de isolamento e que isso poderia desencadear um aumento na curva de contágio do vírus.

“A gente tem que ter uma opinião além da nossa pessoal, uma opinião técnica. O que a opinião técnica diz é que não é momento de relaxar [o isolamento]. Na prática, a gente vê que na hora que você relaxa, vem o surto e aí você perde o controle. O Piauí e a cidade de Teresina estão em uma situação melhor, por enquanto, do que os outros estados porque foram tomadas medidas duras bem antes dos outros”, disse.

  • Foto: Luis Marcos/ViagoraVereador DuduVereador Dudu (PT).

O parlamentar afirmou que entende a reivindicação dos empresários, mas que no momento atual, devem ser seguidas as orientações das autoridades de saúde.

“O prognóstico científico que se tem é que neste mês a gente vai atingir o assombroso pico. Não adianta a gente se exacerbar e abrir só porque estamos precisando. Eu entendo isso, porque sou dono de restaurante e tenho a folha de 34 funcionários sem ter receita para pagar. Agora não podemos relaxar, principalmente nós que estamos à frente de um poder público, deixar a emoção e o calor da pressão econômica se sobrepôr à vida. Eu sou favorável que seja mantido do jeito que está. É melhor a gente ter uma coisa passageira agora do que a economia dar pressão, a gente abrir e ter que entrar em um lockdown depois. Não é brincadeira”, comentou.

Questionado sobre a possibilidade de adiamento das eleições municipais, marcadas para acontecer em outubro deste ano, o vereador acredita que não haverá problemas quanto a realização do pleito e demonstrou-se contrário ao adiamento cogitado entre ministros do TSE.

“Eu acredito que, no momento, ainda temos o prazo hábil. Nós ainda não temos o prejuízo de nenhum calendário eleitoral. Então eu acredito, e peço a Deus, que haja as modificações necessárias e não tenha a necessidade de adiar as eleições, porque eu espero que isso não perdure por muito mais tempo. Discutir adiamento é temerário e eu sou contrário. Meu mandato encerra no dia 31 de dezembro, o povo me elegeu essa data, então eu não sou favorável ao adiamento das eleições, no momento”, finalizou.

Mais na Web