Política

“Sou vítima da maior mentira jurídica contada em 500 anos”, diz Lula

Lula relembrou o tempo que passou na prisão da Superintendência da PF em Curitiba e a certeza que tinha de que seria inocentado.
10/03/2021 14h55 - atualizado

Nesta quarta-feira (10), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve na sede do Sindicato dos Metalúrgicos para falar pela primeira vez após a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF),  Edson Fachin, que anulou todos os processos contra ele.

Ao lado de Fernando Haddad e outros integrantes do PT, Lula relembrou o tempo que passou na prisão da Superintendência da PF em Curitiba e a certeza que tinha de que seria inocentado.

"Tomei a decisão de me entregar porque não seria correto que um homem com a minha história pudesse aparecer na capas de jornais, revistas e na TV como fugitivo. Tomei a decisão de provar minha inocência dentro da sede da PF. Eu tinha tanta confiança do que estava acontecendo no Brasil que tinha certeza que esse dia chegaria. E ele chegou", disse Lula, relembrando os dias na prisão em São Bernardo do Campo (SP).

Lula afirmou que foi vítima da uma mentira: "Sou vítima da maior mentira jurídica contada em 500 anos de história. Então, se tem um cidadão que tem direito de ter profundas mágoas, sou eu. Mas não tenho. O sofrimento que as pessoas pobres estão passando é infinitamente maior do que o que eu senti", ressaltou.

O ex-presidente agradeceu ao apoio de todos aqueles que acreditaram na sua inocência. "Eu sou o resultado da consciência da classe trabalhadora na política brasileira. Vocês, que estão aqui, foram as pessoas que sempre acreditaram na minha inocência, que estavam e sempre estiveram comigo", finalizou.

Mais na Web