Política

Teresa Britto quer convocar Ellen Gera para falar sobre a UESPI

A parlamentar afirmou que a situação da universidade não melhorou e que dezenas de disciplinas estão sem professores, além de haver atraso nos salários dos servidores.
  • DA REDAÇÃO
20/09/2019 18h10 - atualizado

A deputada estadual Teresa Britto (PV), durante discurso na sessão plenária da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) dessa quinta-feira (19), defendeu a convocação do secretário estadual de Educação, Ellen Gera, para prestar esclarecimentos sobre a situação da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e sobre o transporte escolar no estado.

A oradora pediu o apoio do líder do Governo na Alepi, deputado Francisco Limma (PT), para apresentação de um requerimento convocando o secretário.

Teresa Britto denunciou que a situação da UESPI não melhorou desde a greve de professores e estudantes ocorrida no início do ano, afirmando que dezenas de disciplinas não têm professores, que os salários dos servidores terceirizados continuam em atraso, bem como o pagamento das bolsas dos alunos. “Tem estudante da Faculdade de Medicina da UESPI estudando uma disciplina por semestre por falta de professores”, declarou ela.

A parlamentar pediu ainda ao líder do Governo que marque audiência com os secretários de Educação, Ellen Gera, do Planejamento, Antônio Neto, e da Fazenda, Rafael Fonteles, para discutir a autonomia financeira da UESPI a partir de 2020. No entendimento da deputada, a Universidade Estadual terá melhores condições de funcionamento quando tiver autonomia para administrar os recursos orçamentários (duodécimo) que receber nos próximos anos.

Em aparte, o deputado Gustavo Neiva (PSB), líder da Oposição, disse que o Governo fez várias promessas durante a greve realizada no início do ano, mas não cumpriu nada até agora. “Tem 600 disciplinas sem professores e existem alunos que estão há três meses sem receber suas bolsas”, declarou ele, assinalando que as dificuldades ocorrem, também, na área da saúde devido à falta de condições de funcionamento dos hospitais e atraso no pagamento dos salários dos funcionários.

Teresa Britto concluiu o seu pronunciamento afirmando que “a nossa luta e cobranças que fazemos buscam zelar por aquilo que pertence ao povo e não ao Governo ou à Assembleia Legislativa”. Teresa Britto destacou ainda que os parlamentares de oposição têm votado e continuarão votando a favor das proposições que sejam boas para o Piauí.

Mais na Web