Piauí

Transporte alternativo inicia greve geral na cidade de Teresina

Conforme os permissionários do transporte alternativo, as máquinas foram bloqueadas sem aviso prévio da Strans impossibilitando a prestação de serviços por parte das vans.
  • LETÍCIA DUTRA
27/10/2021 15h10 - atualizado

Nesta quarta-feira (27), os permissionários do transporte alternativo de Teresina deram início à greve geral, ato realizado logo após seis dias de paralisação das atividades. A greve ocorre por conta da falta de acordo com a gestão da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), que bloqueou a utilização do ControlCit, dispositivo usado para cartão de vale transporte e estudantil dos usuários de transporte alternativo da capital.

Conforme os permissionários do transporte alternativo, as máquinas foram bloqueadas sem aviso prévio da Strans impossibilitando a prestação de serviços por parte das vans, pois a maior parte dos teresinenses utiliza o cartão magnético disposto pela máquina para pagar a viagem realizada.

  • Foto: Divulgação/AscomTransporte alternativoTransporte alternativo

Ainda segundo a categoria, aproximadamente 150 trabalhadores foram prejudicados pela ação e seguem sem poder circular na capital. Somente 40 vans do transporte alternativo estão sendo disponibilizados para os passageiros da capital, eles transitam saindo dos bairros a pontos específicos da cidade como Shoppings, Centro Administrativo e universidade.

A superintendência da Strans divulgou em nota que será efetuado uma auditoria nas máquinas ControlCit, além de ser realizado uma nova licitação anunciada pela prefeitura de Teresina. O Sindicato dos Proprietários Autônomos de Transportes Alternativos de Passageiros do Estado do Piauí (SINTRAPI) ressaltou que o uso das máquinas será restabelecido para que ocorra o retorno regular das vans e ainda destacou que não é contra a utilização do dispositivo, se houver alguma irregularidade a mesma será apurada.

Por fim, o SintraPi demonstrou interesse em dialogar com a categoria para buscar uma solução que vise um equilíbrio da situação entre os permissionários e a prefeitura Municipal de Teresina.

“O SINTRAPI fica à disposição para o verdadeiro diálogo em busca de uma solução que estabeleça o equilíbrio econômico financeiro entre os permissionários e a Prefeitura Municipal de Teresina, tendo como mote maior o bem estar dos usuários do sistema de transporte público da cidade de Teresina”, conclui em trecho da nota.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web