Polícia

Veículo de vereador acusado de estelionato é apreendido em Gilbués

O veículo foi apreendido pela PRF na rodovia BR-135, nessa sexta-feira (21). No interior do automóvel foram encontrados diversos documentos pessoais e títulos de eleitores.
22/08/2020 16h45 - atualizado

Na tarde dessa sexta-feira, 21 de agosto, agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam um veículo com registro de roubo/furto às margens da BR-135, área do município de Gilbués, distante 799 km de Teresina.

De acordo com informações divulgadas pela PRF, a ação foi desencadeada quando os policiais receberam uma denuncia anônima de um popular, relatando que havia um veículo estacionado na rodovia e que este veículo seria roubado.

Os policiais, ao chegar no local, verificaram que o veículo estava com as portas abertas, a chave na ignição e que possuía os elementos de identificação adulterados. Após uma verificação mais minuciosa, os policiais constataram que o veículo original possuía registro de roubo/furto datado de 14/07/2017 em Brasília (DF).

  • Foto: Divulgação/PRFOs policiais encontraram o veículo às margens da BR-135, em Gilbués.Os policiais encontraram o veículo às margens da BR-135, em Gilbués.

Durante toda a ação, houve aglomeração de populares que informaram aos policiais que o veículo era de propriedade de um vereador da região. Os policiais verificaram que o vereador é acusado de diversos crimes como: Formação de Quadrilha, Infração ao Estatuto do Desarmamento e Estelionato.

Dentro do veículo, os policiais encontraram diversos documentos pessoais e títulos de eleitores, o que poderia conotar possível crime eleitoral. Além disso, a documentação pessoal do político encontrava-se no interior do veículo. Durante toda a ação, nenhuma pessoa, incluindo o vereador, apresentou-se para reclamar o bem.

Desta forma, os policiais apreenderam o veículo e o encaminharam, juntamente com toda a documentação, até a Delegacia de Polícia Civil (DPC) de Corrente para os procedimentos necessários. Será aberto inquérito policial para apurar quem tinha a posse do veículo, bem como o possível cometimento de crime eleitoral.

Mais na Web