Piauí

Wellington comemora aprovação de crédito para investimentos no Piauí

O governador se reuniu com o ministro do STF, Dias Toffoli e tratou sobre a liberação do pagamento.
20/08/2021 15h35 - atualizado

Na manhã desta sexta-feira (20), o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou a liberação dos recursos para investimentos no estado do Piauí.

O governador Wellington Dias se reuniu com o ministro do STF, Dias Toffoli e tratou sobre a liberação do pagamento de urgência do financiamento no valor de R$ 800 milhões para o estado.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o governador comemorou a aprovação do STF e afirmou que a decisão é muito importante para o Piauí. Ele afirma ainda que a legislação no Brasil assegura as condições de crédito com o aval da União.

“O Supremo Tribunal Federal adotou uma decisão muito importante que protege interesses do povo, com base na constituição. A constituição brasileira coloca um pacto federativo em que os estados tenham uma regulação com o poder central, mas também com autonomia. E aqui nós temos uma legislação no Brasil que assegura as condições de crédito, inclusive crédito com aval da União e depois que o estado do Piauí, celebrou um contrato com o Banco do Brasil, foi aprovado pela Secretaria do Tesouro Nacional e publicado, foi aprovado pela Secretaria Nacional da Fazenda e publicado com aprovação”, disse.

O chefe do executivo estadual ressalta que a decisão do STF garantiu o cumprimento da constituição e investimentos para o crescimento do estado.

“A partir daí se queria negar a liberação desse crédito para investimentos no Piauí, estamos falando de recursos para investimentos, não é razoável quem quer que seja, trabalhar contra investimentos para o povo. E a decisão do Supremo garantiu de um lado, o cumprimento da constituição e no outro lado, garantiu mais investimentos para o povo do Piauí”, ressaltou.

De acordo com o documento, assinado pela Procuradoria Geral do Estado, após a aprovação do financiamento no último dia 3 de agosto, a União editou e publicou uma portaria no dia 4 de agosto, que resultou no trancamento da tramitação do contrato. No entanto, o Piauí ganhou uma ação movida contra a União para a liberação dos recursos, que serão destinados para investimentos nas áreas de segurança pública, mobilidade urbana, infraestrutura rodoviária, saneamento básico e infraestrutura hídrica.

Mais na Web