Coronavírus no Piauí

Wellington defende que haja um socorro do governo federal aos estados

O objetivo do gestor é promover um consenso entre os estados a fim de barrar o avanço da pandemia no novo coronavírus no Brasil.
28/01/2021 12h02 - atualizado

Nessa quarta-feira (27), o governador Wellington Dias participou de reunião virtual com membros do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

O objetivo do gestor é promover um consenso entre os estados a fim de barrar o avanço da pandemia no novo coronavírus no Brasil.

Segundo o govenro, na reunião, quatro pontos foram debatidos entre as lideranças: o reconhecimento do aumento da transmissibilidade e mortalidade da Covid-19 no país; a necessidade de um orçamento, oriundo do governo federal, que atenda as necessidades de cada estado; adoção de medidas preventivas até o dia 21 de fevereiro e a criação de um cronograma de compra e entrega com os fabricantes das vacinas.

“A primeira medida é que haja um socorro do governo federal, por meio do Ministério da Saúde, aos estados e municípios. Temos a elevação de despesas porque a pandemia não parou, pelo contrário, ela está numa situação ainda pior em relação ao mês de agosto do ano passado, o que é assustador”, disse Wellington Dias

Sobre o número de leitos disponíveis, o governador explicou que: “seguimos ampliando a capacidade de atendimentos, para isso, tivemos que adiar cirurgias eletivas para garantir espaços às pessoas que contrariem o coronavírus. Pedimos a compreensão da população no respeito às medidas restritivas. Até novembro de 2020, o Piauí chegou a uma contenção positiva do coronavírus, o que permitiu a redução da transmissibilidade caindo para menos de 0,54%, consequentemente, houve uma redução de 45% na ocupação dos leitos clínicos e de UTI. Mas agora tivemos um crescimento de contágio e pessoas estão precisando de leitos chegando a um patamar de 70%”.

Mais na Web