Política

Wellington Dias e embaixador da China discutem compra de vacina

Outro ponto debatido, foi uma reunião prevista para esta terça-feira (09), com o Ministério da Saúde.
  • LAÍS VITÓRIA
06/02/2021 08h44 - atualizado

Na manhã dessa sexta-feira (05), o governador do Piauí, e também presidente do Consórcio Nordeste e coordenador da temática estratégia para vacina contra Covid-19 do Fórum dos Governadores, Wellington Dias, esteve em uma reunião por videoconferência com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming e governadores do Brasil.

A reunião foi para tratar sobre a entrega do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) insumo fundamental para a produção da vacina contra a Covid-19. O representante do governo chinês também assegurou a produção de mais vacinas, além da compra direta por parte dos estados.

  • Foto: Divulgação/Governo do PiauíWellington Dias em reunião com com o embaixador da China no Brasil, Yang WanmingWellington Dias em reunião com com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming.

Segundo Wanming, três lotes de IFA serão entregues ao Brasil até final deste mês. O primeiro lote com 88,6 litros do insumo chega ainda nesse sábado (06) e será destinado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que poderá produzir 2,81 milhões de doses.

Ficou decidido durante a reunião que os demais lotes chegarão ao longo do mês, com IFA suficiente para a produção de 15 milhões de doses. De  acordo com o governador com a chegada dos lotes, poderá ter uma produção para vacinar toda a fase 1.

“A chegada desses lotes vai permitir que possamos alcançar algo como 10% da população vacinada no Brasil. Além disso, pedimos a garantia de um cronograma de vacinas para que, com antecipação de IFA, possamos, nos meses de março e abril, ter uma produção para vacinar toda a fase 1. Esse é um passo muito importante”, explicou Wellington Dias.

Outro ponto debatido foi uma reunião prevista para esta terça-feira (09), com o Ministério da Saúde a fim de tratar sobre a nova lei aprovada no Senado que prevê o reconhecimento de múltiplas vacinas.

O objetivo é a compra direta, por parte dos estados, a partir do excedente de compra do Ministério da Saúde. O gestor conta ainda que, além da saúde, discutiu-se uma estratégia para a economia do país.

“Queremos garantir vacina para mais pessoas. Além de seguirmos o plano nacional, pelo qual já demos início à vacinação das pessoas acima de 90 anos, queremos garantir que a gente possa vacinar o pessoal da educação, do turismo, da construção civil, do comércio, ou seja, ampliar, para que tenhamos mais cedo a imunização no país”, destacou o governador do Piauí.

Ficou acertada a organização de câmaras técnicas, formada por representantes dos estados brasileiros e embaixada e governo da China, para ampliar estrategicamente as possibilidades em diversas áreas econômicas.

“Nestas câmaras, iremos tratar de diversas áreas como a tecnologias, produção de alimentos, energias renováveis, área vinculada, por exemplo, a investimentos direto em produção, balança comercial, onde compramos e vendemos para a China. Esse trabalho será parte do grande plano de retomada da Economia para o Brasil, a partir de cada estado”, concluiu.

O embaixador Yang agradeceu a parceria e atitude positiva dos governadores e afirmou que a parceria com o Brasil vai muito além de laço comercial. “Gostaríamos de consolidar ainda mais essa parceria com os estados para interesses comuns e benefício da população. Somos dois países emergentes e grande peso. O Brasil é um parceiro estratégico da China e que vai muito além do laço comercial”, afirmou Yang Wanming.

Mais na Web